Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Caster Semenya vence a prova de Berlim com uma arrancada fantástica no final | Johannes Eisele/AFP
Caster Semenya vence a prova de Berlim com uma arrancada fantástica no final| Foto: Johannes Eisele/AFP

No mesmo dia em que viu o queniano David Lekuta Rudisha quebrar o recorde mundial dos 800 metros, o Meeting de Atletismo de Berlim também foi palco de outro momento histórico ontem. Um ano após ter sua sexualidade questionada durante o Cam­peo­­nato Mundial, disputado no mesmo lugar, a sul-africana Caster Semenya voltou ao Estádio Olím­­pico e venceu a prova feminina da distância.Com tranquilidade, Seme­nya ganhou os 800 metros com o tempo de 1min59s90, o me­­lhor que obteve desde seu retorno às pistas, que aconteceu em julho, no Meeting de Lappe­­enranta, na Finlândia. A marca, no entanto, ainda está longe de seu recorde pessoal, que é de 1min55s45.

Semenya ficou 11 meses afastada das competições oficiais por ter sua sexualidade questionada após ter vencido os 800 metros no Mundial de 2009. Ela teve de se submeter a testes que confirmaram seu gênero feminino. "Me sinto a mesma, mas não foi fácil para uma garota de 19 anos passar pelas coisas que tive de viver", afirmou Semenya depois da prova. "Minha meta era correr abaixo dos dois minutos e consegui. Fiz um bom tempo e me senti em casa", reforçou a sul-africana, que recebeu um caloroso aplauso de parte dos quase 50 mil torcedores que estavam no estádio.

Já o queniano David Lekuta Rudisha correu os 800 m em 1min41s09, superando a marca do queniano naturalizado dinamarquês Wilson Kipketer, de 1min41s11, registrada em 1997.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]