Um reforço na vistoria dos torcedores será a principal providência de segurança para o primeiro jogo na Arena após a partida contra o Figueirense, quando uma bomba lançada ao gramado pôs em risco a segurança dos jogadores e o mando de campo do Atlético nas próximas rodadas do Brasileiro. Como na ocasião o rojão passou despercebido pela revista, a administração do estádio resolveu agir para evitar a repetição do episódio.

De acordo com Péricles Macedo Souza, coordenador de segurança da Arena, a revista na entrada é atribuição exclusiva da Polícia Militar, não competindo ao promotor do evento sequer a possibilidade de contratar funcionários para realizar a tarefa. "Notificamos a PM para reforçar a vigilância", explicou ele. "Esta foi a primeira vez que um artefato desta natureza burlou a vigilância."

Além do reforço nas revistas, os olhos da administração também estarão atentos as 63 câmeras que monitoram a Arena. Atenção redobrada também terá o batalhão de funcionários especializados em segurança preventiva contratados pelo clube. Segundo Souza, na partida contra o Figueirense todo esse aparato não precisou ser usado para identificar o autor do arremesso do rojão aos seis minutos de jogo. "A identificação do acusado partiu do testemunho dos torcedores presentes ao local."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]