Kelly Slater no mar é como Roger Federer na quadra, Michael Phelps na piscina, Usain Bolt na pista ou Lionel Messi no campo – todo mundo para pra ver. Foi assim no início da tarde desta terça-feira em Jeffreys Bay, África do Sul. Centenas de pessoas espalhadas pela areia, espremidas nas arquibancadas, equilibrando-se em pequenos morros e pedras especialmente para assistir ao maior surfista de todos os tempos em ação. Ele fez 18,84 pontos, a mais alta soma da segunda rodada, bateu o australiano Nic Muscroft e avançou às oitavas de final da etapa sul-africana do Circuito Mundial de surfe.

Slater dominou a bateria desde o início e cravou nota 9,00 logo na segunda onda. Na quarta, tirou 9,27 e mereceu muitos aplausos do público e elogios do locutor oficial do evento, Dean Botha.

"Kelly Slater, senhoras e senhores! Este cara faz meu trabalho ficar mais divertido", disse Botha, emendando com uma gargalhada.

Já com a vitória garantida, o americano acertou outra grande sequência e marcou 9,57 na oitava onda. A trinta segundos do fim, foi para a nona e fez 9.23. Já a melhor nota do adversário foi 5,67 (18,84 x 9,34). Mas diante da euforia por Slater, ninguém se preocupou com ele.

O australiano Nic Muscroft, de fato, foi só um privilegiado espectador do show solo de Slater, nove vezes campeão mundial e quatro vezes vencedor em Jeffreys Bay. Ninguém é melhor que ele, nem na história do surfe, nem nas ondas do balneário sul-africano.

E o que faz Slater ser diferente, além do enorme talento, é a gana com que entra em cada onda, mesmo aos 37 anos.

"Surfo para melhorar meu desempenho, para continuar pegando as ondas da melhor forma que posso", explicou Slater ao sair da água, já cercado por dezenas de crianças.

Uma resposta que de certa forma ele já tinha dado ao permanecer na água após o fim da bateria. Com os cronômetros zerados e vitória garantida, Slater ainda remou para mais uma onda. Como se fosse a primeira. Ou a última.

Seu próximo adversário será o americano Taylor Knox, que superou o compatriota Chris Ward por 16,43 a 12,66.

Tops eliminados

A segunda fase em Jeffreys Bay ainda teve as eliminações de fortes candidatos ao título de campeão da temporada 2009 do Circuito Mundial. O brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho, segundo colocado no ranking do ano, foi eliminado pelo americano Nathan Curren.

Quarto e quinto colocados, Taj Burrow e Mick Fanning também deram adeus à África do Sul. O primeiro foi superado pelo local Sean Holmes, enquanto Fanning caiu diante de Michel Bourez.

Oitavas de final:

1. Kai Otton AUS 14,60 x 10,17 CJ Hobgood EUA2. Dean Morrison AUS 17,63 x 11,57 Nathaniel Curran EUA3. Bobby Martinez EUA 15,00 x 12,50 Ben Dunn AUS4. Joel Parkinson AUS 18,50 x 12,33 Kieren Perrow AUS5. Sean Holmes AFS 15,50 x 13,57 Mick Campbell AUS6. Michel Bourez TAH x Dane Reynolds EUA7. Kelly Slater EUA x Taylor Knox EUA8. Bede Durbidge AUS x Damien Hobgood EUA

Segunda fase:

1: C.J. Hobgood (EUA) 13,17 x 13,10 Michael Picon (FRA)2: Fredrick Patacchia (HAV) 11,23 x 12,90 Kai Otton (AUS)3: Jeremy Flores (FRA) 13,33 x 13,83 Dean Morrison (AUS)4: Adriano de Souza (BRA) 8,43 x 11,50 Nathaniel Curran (EUA)5: Bobby Martinez (EUA) 15,83 x 7,50 Roy Powers (HAV)6: Tom Whitaker (AUS) 5,20 x 15,73 Ben Dunn (AUS)7: Kieren Perrow (AUS) 13,10 x 10,87 Kekoa Bacalso (HAV)8: Joel Parkinson (AUS) 16,90 x 7,83 Heath Joske (AUS)9: Taj Burrow (AUS) 9,33 x 18,60 Sean Holmes (AFS)10: Mick Campbell (AUS) 13,50 x 11,17 Tim Reyes (EUA)11: Mick Fanning (AUS) 17,17 x 18,27 Michel Bourez (THA)12: Jordy Smith (AFS) 13,90 x 17,83 Dane Reynolds (EUA)13: Kelly Slater (EUA) 18,84 x 9,34 Nic Muscroft (AUS)14: Taylor Knox (EUA) 16,43 x 12,66 Chris Ward (EUA)15: Bede Durbidge (AUS) 17,50 x 16,00 Greg Emslie (AFS)16: Damien Hobgood (EUA) 11,83 x 11,00 Chris Davidson (AUS)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]