i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artigo

Milhões de africanos estão sendo sacrificados no altar da “Energia Verde”

  • PorGregory Wrightstone
  • The Daily Signal
  • 18/11/2020 17:27
Medidas ecologicamente corretas obrigam milhões de africanos pobres a recorrerem a combustíveis sujos para cozinhar dentro de casa.
Medidas ecologicamente corretas obrigam milhões de africanos pobres a recorrerem a combustíveis sujos para cozinhar dentro de casa.| Foto: Pixabay

As medidas da administração Obama em defesa da substituição da eletricidade gerada a carvão pela energia verde estão prejudicando milhões de africanos que vivem na pobreza extrema, causando degradação ambiental e aumento o risco de mortes precoces, de acordo com uma nova análise da CO2 Coalition.

O estudo, realizado por uma coalisão de 60 climatologistas e engenheiros sediados em Arlington, na Virgínia, mostra que o acesso inadequado à eletricidade é um dos principais motivos para a pobreza persistente na África.

O crescimento econômico numa economia globalizada competitiva exige energia elétrica confiável e disponível a todos. Sem eletricidade o bastante para aquecimento e para cozinhar, os africanos estão expostos a altos níveis de poluição emitida por combustíveis sujos dentro de casa — o maior risco ambiental à saúde, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

No mundo todo, a OMS estima que três bilhões de pessoas ainda cozinham e se aquecem e iluminam suas casas usando combustíveis sólidos — madeira, carvão e fezes secas de animais.

As toxinas e partículas decorrentes da queima dos combustíveis sólidos matam cerca de quatro milhões de pessoas por ano de pneumonia, ataque cardíaco, doenças pulmonares, derrame, câncer de pulmão e várias doenças autoimunes. Metade das mortes por pneumonia em crianças com menos de cinco anos são causadas por causa de fuligem dentro de casa.

A UNICEF estima que 400 mil dessas quatro milhões de mortes são de africanos.

Níveis perigosos de poluição doméstica representam grande perigo para famílias sem acesso à eletricidade.

As agências internacionais também dizem que 352 milhões de crianças africanas vivem em lares nos quais se cozinha usando combustíveis sólidos. Milhões de mulheres e crianças continuam caminhando quilômetros todos os dias para pegar não só água, mas também lenha para a queima interna, aumentando o desmatamento.

As doenças, mortes e miséria resultantes da pobreza energética da África diminuem lentamente em comparação com o restante do mundo.

Em 1960, os moradores da China e da África subsaariana tinham uma expectativa de vida de 44 anos. Hoje, a expectativa de vida na China é de 77 anos, pouco menos do que a expectativa de vida nos Estados Unidos, que é de 79 anos. Infelizmente, a expectativa de vida média na África é de 61 anos, melhor do que há 60 anos, mas ainda assim bem inferior ao restante do mundo.

De acordo com a nova pesquisa, isso significa que 1 bilhão de africanos subsaarianos perdem, juntos, 16 bilhões de anos em comparação com os chineses.

A pobreza geracional extrema na África subsaariana é endêmica, sendo que 41% da população vive na pobreza absoluta, que o Banco Mundial define como renda inferior a US$ 1,40 por dia (equivale a R$ 7,50 na cotação atual).

A falta de acesso a fontes confiáveis de eletricidade é um dos principais motivos para a falta de crescimento econômico.

Mesmo em áreas com abundância de energia elétrica na África, a transmissão não é confiável, já que a rede costuma cair, às vezes diariamente.

Isso causou uma “dieselização” do continente nas últimas décadas. Geradores a diesel emissores de fuligem foram instalados nas casas dos ricos, em fábricas e em prédios do governo. O uso dessa fonte de energia suja é tamanho que estima-se que muitas nações africanas gastem mais na geração de eletricidade a diesel do que na rede de transmissão em si.

A solução para a pobreza energética é aposta na energia eólica e solar? De jeito nenhum, já que a falta de confiabilidade nas fontes renováveis significa mais blecautes, o que provocará uma “dieselização” ainda maior.

A solução para a geração de energia confiável e a um custo razoável talvez esteja sob os pés dos africanos, na forma de reservas abundantes de carvão que podem ser exploradas pelo uso da tecnologia norte-americana do carvão limpo.

A África do Sul controla quase 70% das reservas do continente, mas também há depósitos de carvão consideráveis na África Oriental e no Sahel (África Oriental). Mais de 100 novas usinas a carvão estão sendo projetadas em 11 nações africanas, e quase metade delas estão sendo financiadas e construídas pela China.

Apesar da crise de saúde na África, o Banco Mundial hoje impede empréstimos para a manutenção ou construção de novas usinas a carvão. Na verdade, o banco empresta a países que o ajudam a fechar minas e a substituir as usinas existentes por usinas à base de combustíveis renováveis.

De acordo com Akinwumi Adesina, presidente do Banco Africano de Desenvolvimento, “o carvão é passado e a energia renovável é o futuro”. Ele acrescentou: “Há um motivo para Deus ter dado tanta luz do sol para a África.

Mas essa é justamente a fórmula errada.

Quem quer que venha a se sentar no Salão Oval no dia 20 de janeiro, o presidente deveria cogitar revogar as restrições ao desenvolvimento energético da África para melhorar a vida de milhões de irmãos e irmãs africanos.

Gregory Wrightstone, membro da CO2 Coalition, é geólogo e escritor.

© 2020 The Daily Signal. Publicado com permissão. Original em inglês
9 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 9 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • D

    Dario de Araújo Dafico

    ± 1 minutos

    Interesse de capital chinês de domínio energético na África disfarçado de boas intenções. O problema da África é a instabilidade política (guerras) e corrupção. As soluções energéticas são múltiplas e não precisam de termelétricas a carvão. Nas pequenas comunidades, onde o investimento em linhas de distribuição seja inviável economicamente, pode-se produzir álcool e gerar energia elétrica confiável em geradores à etanol.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • F

      FB

      ± 45 minutos

      É bem simples: a Europa e EUA se desenvolveram numa época que ninguém dava a mínima para meio ambiente, e agora não deixam o resto se desenvolver pois isso "afeta o mundo". Então estão forçando todos os países mais miseráveis do planeta pela rota mais lenta possível para o desenvolvimento econômico enquanto eles aproveitam os benefícios de uma economia desenvolvida. Para eles é bem comodo: não são eles que estão com criança chorando de fome do lado dentro de uma casa de pau-a-pique.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • A

        Aloísio Leoni Schmid

        ± 1 horas

        Texto tendencioso. A energia renovável pode, sim, libertar a população do abastecimento de energia nas formas comerciais. Em locais ensolarados, com o calor solar se pode, desde os anos 70, para cozinhar. E onde se tem a dádiva do vento e do sol, produz-se energia elétrica a custos competitivos. É óbvio que as fontes são intermitentes, mas para solucionar isto há no mínimo cinco décadas de engenharia de energia. Desperdiçar as fontes locais e renováveis por supostos vínculos com Obama ou com o pensamento esquerdista é, precipitado e tendencioso. As fontes de energia não estão na raiz dos problemas sociais; elas são tão somente uma rede de apoio para a esfera política.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • P

          Paulo César de Castro Silveira

          ± 2 horas

          1- o que eu entendi é que Obama não deixa construir hidrelétricas. Mas o artigo não está claro. 2- Peço um artigo para o absurdo da Inglaterra ir construir mais centrais nucleares para abastecer carros elétricos.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • E

            Everaldo Basso

            ± 5 horas

            A questão central é que os patrulheiros do meio-ambiente não estão nem aí para a miséria das pessoas. Eles querem gritar ecologicamente correto de dentro do seu conforto no ar-condicionado consumindo produtos poluentes.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • J

              Josphin

              ± 6 horas

              Péssimo artigo. Como assim dizer que os sistemas de geração de energia solar e eólica não tem estabilidade...É o contrário, pois são complementares. Pelo que percebi aí o problema é o sistema de transmissão. Agora defender o uso de combustíveis fosseis em detrimento de energias renováveis, essa foi demais.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • V

                Vicente Sloboda

                ± 11 horas

                Não gazeta, não! Ele fala que o problema é a transmissão mas dá uma solução de geração. Artigo medíocre.

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • A

                  Andre

                  ± 14 horas

                  Parece que o geólogo e fan de carvão e nao entende nada de energia solar e eólica. Texto absurdo...

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  • M

                    MOMENTO

                    ± 14 horas

                    Ótimo artigo!

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    Fim dos comentários.