Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

"Em todo lugar havia o grito: ‘não há pão. Estamos morrendo’. Esse grito veio de todas as partes da Rússia. Eu vaguei pela região da terra negra porque aquela já foi a área agrícola mais rica da Rússia e porque os correspondentes foram proibidos de ir lá para ver por si mesmos o que está acontecendo”

“No trem, um comunista negou que havia fome. Os camponeses comiam forragem para gado e só tinham mais um mês de suprimento. Me contaram que muitos já morreram de fome. Dois soldados vieram prender um ladrão e me alertaram contra viagens noturnas, pois havia muitos homens desesperados de ‘fome’”.

Estes são trechos de uma série de reportagens publicadas em 1933 pelo jornalista britânico Gareth Jones, o primeiro a viajar por conta própria pela União Soviética longe dos olhos de Moscou e a contar ao mundo a verdade sobre o “grande experimento” de Stálin. Meses depois revelar em primeira mão os horrores do Holodomor, a grande fome na Ucrânia, Jones foi sequestrado e morto pela polícia secreta soviética.

Sua história chegou aos cinemas em 2019, com direção de Agnieszka Holland e atuações de James Norton e Vanessa Kirby. O filme “A Sombra de Stálin” é tema deste episódio do Quarentena Cult, que conta com um convidado especial. Os jornalistas Jones Rossi e Maria Clara Vieira recebem o embaixador da Ucrânia no Brasil, Rostyslav Tronenko, para conversar sobre a obra.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]