A fachada com pedras de arenito foi uma homenagem do arquiteto Julio Pechman ao vilarejo Monterosso Al Mare, na Itália | Andrea Paccini/Divulgação
A fachada com pedras de arenito foi uma homenagem do arquiteto Julio Pechman ao vilarejo Monterosso Al Mare, na Itália| Foto: Andrea Paccini/Divulgação

Detalhes

Confira o perfil do condomínio:

Endereço

Rua José de Alencar, 1.339, Alto da XV.

Infraestrutura

Três suítes, com metragem total de 270 metros quadrados, sendo 184 metros quadrados de área privativa. As unidades têm duas vagas de garagem, com opção de uma terceira. No condomínio há piscina, salão de festas, sala para crianças, playground, espaço gourmet e fitness center.

Preço

A partir de R$ 697 mil (unidade de segundo andar). Entrada de R$ 200 mil e saldo em 36 vezes pela construtora, além de financiamento por instituição bancária.

Plantão de vendas

No local, com horário agendado, ou pela imobiliária Claro, na Rua Almirante Tamandaré, 1.145, Alto da XV. Informações: (41) 3362-5151.

As pedras de arenito, que revestem a fachada, e a ar­­­quitetura contemporânea, com linhas arredondadas, saltam aos olhos e estão entre os destaques do Edifício Residencial Monterosso, no Alto da XV. O condomínio está localizado na Rua José de Alencar, entre as ruas Itu­­­­pava e Professor Brandão. Com duas torres e um total de 30 apartamentos, sendo 24 padrão, dois térreos e quatro coberturas, está com as últimas unidades à venda.Neste, que é um dos últimos projetos do arquiteto paranaense Julio Pechman, falecido há quase um ano, é feita uma referência ao vilarejo de Monterosso Al Mare, na Itália. "A volumetria foi estudada para receber esse tipo de material e o resultado ficou impressionante", diz o engenheiro civil Hugo Pe­­­­­­­­retti Neto, diretor-geral da cons­­­­trutora Hugo Peretti. As pedras vêm da cidade de Jacarezinho, no Norte Pioneiro do Paraná, em cumprimento a um dos quesitos necessários ao conceito de "edificação verde", de utilizar materiais de construção da própria região.

Como mecanismo para diminuir o impacto ambiental que as construções possam provocar é utilizado sistema de captação de água da chuva para uso do condomínio. Além disso, foi preservada a permeabilidade do terreno, permitindo que a água da chuva seja absorvida pela terra, sem barreiras de concreto ou cimento.

Dispostas para a face norte, todas as unidades têm três suítes e duas vagas de garagem, com opção para uma terceira, além de lareira, duas sacadas (uma com churrasqueira), acabamentos com sancas de gesso e quarto principal com banheira. Dois apartamentos, de segundo e terceiro andar, estão disponíveis, ambos com 270 metros quadrados de área, sendo 184 privativos. Na área comum, piscina, salão de festas, espaço gourmet, fitness center, sala para crianças e playground. As unidades custam a partir de R$ 697 mil, com entrada de R$ 200 mil e saldo em 36 vezes pela construtora.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]