Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Justiça
  3. Justiça nega pedido para tirar do ar vídeo de Danilo Gentili contra Maria do Rosário

liberdade de expressão

Justiça nega pedido para tirar do ar vídeo de Danilo Gentili contra Maria do Rosário

Juíza federal do DF considerou “deselegantes” as palavras e gestos do apresentador, mas não ofensivos

  • Da Redação
 | Divulgação/SBT
Divulgação/SBT
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A Justiça Federal do Distrito Federal indeferiu o pedido de tutela antecipada feito pela Câmara dos Deputados para que Danilo Gentili retirasse do ar um vídeo publicado na internet e direcionado à deputada Maria do Rosário. Para a juíza federal substituta Luciana Tolentino de Moura, a medida teria caráter repressor e de censura. 

No fim de maio, Gentili causou furor na internet ao publicar um vídeo em que aparecia rasgando notificação extrajudicial enviada pela Procuradoria Parlamentar da Câmara dos Deputados, para que o comediante retirasse de seu Twitter postagens consideradas ofensivas à honra e à imagem da deputada Maria do Rosário (PT-RS). Nas imagens, além de rasgar, Gentili esfregou o documento em suas partes íntimas e afirmou: “Maria do Rosário, chegando minha cartinha, abra ela, tira o conteúdo, sinta aquele cheirinho...” 

A publicação, que teve cerca de 16 milhões de visualizações e 400 mil compartilhamentos já não está mais disponível no Facebook do apresentador. 

Leia também: Danilo Gentili X Maria do Rosário: liberdade de expressão ou crime?

Segundo o artigo 300 do Novo Código de Processo Civil, para que seja antecipada a tutela devem estar presentes elementos que evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou de risco ao resultado do processo. Na visão da juíza Luciana, não era o caso da ação contra Gentili. 

A magistrada justificou a decisão afirmando que o simples fato de se rasgar uma notificação recebida não tem relevância jurídica e não pode ser interpretado como ofensa. No entendimento de Luciana, não houve excesso na manifestação do pensamento – garantia expressa na Constituição Federal – por parte do comediante, afirmando, somente, que as palavras e gestos de Gentili foram “deselegantes”. 

“Acredito que coisa bem pior, diria até mesmo vulgar, já foi dita – e transmitida ao vivo – das tribunas do Congresso Nacional, chegando-se inclusive a tristes cenas de agressões pessoais (verbais e físicas), como aquela do cuspe por ocasião da votação do impeachment da presidente Dilma, dentre tantas outras cenas lamentáveis”, apontou a magistrada. 

Por fim, a juíza concordou com outros trechos da fala do apresentador no vídeo, como, por exemplo, de que o cidadão nunca deve aceitar que qualquer político diga o que pode ou não ser dito. “Todos os exercentes de cargo público são ‘funcionários’ públicos a serviço do povo e não é o povo que está a serviço deles”, disse Luciana. 

Conheça a lei: 

Constituição Federal

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: 

(...) 

IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE