Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Ler e Pensar
  3. Leitura crítica e construção de opinião se aprende na escola

INTEGRAÇÃO

Leitura crítica e construção de opinião se aprende na escola

Projeto desenvolvido no Colégio Sesi trabalhou os temas em Oficinas de Aprendizagem

  • Curitiba
  • Colégio SESI
Alunos de produção textual do SESI utilizam a metodologia do Ler e Pensar  | Divulgação 
Alunos de produção textual do SESI utilizam a metodologia do Ler e Pensar  Divulgação 
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Existe uma ligação estreita entre a crítica e a conscientização! Foi o que aprenderam os mais de 500 alunos de 15 turmas de primeiro e segundo anos do Ensino Médio do Colégio Sesi CIC, em Curitiba, que participaram de um projeto desenvolvido com o objetivo de favorecer o aprendizado diferenciado e construir conhecimento baseado na relação entre a crítica e a conscientização.

O projeto, desenvolvido em parceria com o Ler e Pensar, da Gazeta do Povo, teve como principais práticas o manuseio, a leitura, interpretação e compreensão de textos jornalísticos que abordavam as temáticas relacionadas às Oficinas de Aprendizagem ofertadas entre fevereiro e setembro de 2016. No Colégio Sesi, as aulas são realizadas em formato de Oficinas de Aprendizagem, em que os alunos se reúnem em equipes para solucionar os desafios propostos. O formato promove a integração das disciplinas, a autonomia, a criatividade e o trabalho em equipe. 

Construção de opinião 

Denominado “Construindo Saberes: Uma Ponte entre a Crítica e a Conscientização”, o projeto usou o jornal como um recurso didático nas aulas da disciplina de Produção Textual. De acordo com Silvana Bilek, professora de Língua Portuguesa e Produção Textual do Colégio Sesi CIC, “esse contato direto com o jornal proporcionou uma aprendizagem voltada para a leitura crítica e a construção de opinião dos alunos frente aos assuntos da atualidade, e também o aprimoramento das diversas tipologias textuais estudadas na disciplina de Produção Textual”. 

A professora complementa que a partir do projeto, os alunos passaram a observar com mais cautela e atenção as inúmeras situações do próprio cotidiano. “Foi um processo de conscientização para contextos como economia e desemprego, posicionamento político, relações de poder, sustentabilidade e meio ambiente, que muitas vezes precisam ser repensados, melhorados e modificados”. 

Resultados positivos 

O projeto surgiu da própria prática em sala de aula, com foco na escrita do texto dissertativo-argumentativo que é usualmente solicitado no Enem. Eloisa Ramos Cerri, de 17 anos, foi uma das alunas que participou do projeto. Na opinião da estudante, a proposta do trabalho em sala, que era de formar opinião, adquirir conhecimento para argumentar e, consequentemente, transformar o meio, foi alcançada com facilidade. 

A aluna conta que fez o Enem esse ano para ter uma base e que não teve dificuldades porque já sabia muito do que foi exigido no exame, principalmente relacionado ao que foi trabalhado no projeto. 

Apesar de gostar mais da área de exatas, Welker Felipe Panichi, de 17 anos, assegura que ter participado das oficinas em que foi desenvolvido o projeto foi muito interessante. “A professora nos deu todo suporte e sempre nos incentivou a superar as expectativas. Ela sabia quando o aluno tinha potencial para desenvolver melhor uma atividade”, diz. O aluno, que estava no segundo ano em 2016, foi aprovado no vestibular de 2018 e vai cursar Engenharia Mecânica. 

“Os alunos foram muito participativos e compreenderam a proposta. Os resultados foram extremamente positivos. Percebi uma evolução na escrita, na interpretação e compreensão textual, na vontade de transformar a sociedade a partir de informações, de pesquisa e do aprofundamento de temas, que muitas vezes são discutidos superficialmente e caem no senso comum”, diz a professora. 

Satisfeita com a repercussão, desde o desenvolvimento até a conclusão, a professora conta que o projeto foi encerrado com uma exposição das produções do gênero charge, desenvolvida a partir de cada Oficina de Aprendizagem realizada e da leitura dos textos jornalísticos. 

 

O texto foi produzido pela Gerência de Educação Básica e Continuada do SESI, que mensalmente mostrará neste espaço os resultados do Projeto Ler e Pensar em suas escolas.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE