Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Ler e Pensar
  3. Se criança pode comprar, precisa pensar

Finanças 

Se criança pode comprar, precisa pensar

Prática com alunos de 3º ano escola de Tijucas do Sul ensinou na prática consciência financeira aos alunos

  • Tijucas do Sul 
  • Instituto GRPCOM 
Na aula os alunos aprenderam sobre a a história do dinheiro e como usar moedas, cheques, cartões de crédito e o caixa eletrônico  |
Na aula os alunos aprenderam sobre a a história do dinheiro e como usar moedas, cheques, cartões de crédito e o caixa eletrônico 
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O consumismo infantil tem assombrado muitos pais e educadores e se mostrado um verdadeiro vilão nas casas e escolas. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Alana, cerca de 80% das crianças tem poder nas decisões de compras dos pais, sendo que destes, 38% influenciam fortemente essa decisão. Esses dados mostram que estamos diante de uma geração que tem cada vez mais voz e menos consciência quando o assunto é economia doméstica.

Com base na mesma pesquisa, por incrível que pareça, o campeão na lista de influência é o setor de alimentação, em que as crianças escolhem praticamente sozinhas, o que irão comer, com o poder de 92% da decisão de compra, seguidos por brinquedos (85%) e roupas (57%). 

Em um cenário em que o consumismo tem sido o protagonista nos lares da maioria da população, escolas e professores tem se preocupado em apresentar aos seus alunos, alternativas de consumo sustentável e gerenciamento das finanças pessoais com responsabilidade. 

Aprendendo desde cedo 

Acreditando na importância desse trabalho de conscientização, a professora Emelina Juliatto dos Santos, de Tijucas do Sul, investiu no assunto após ler com seus alunos do 3º ano da Escola Rural Municipal Professor Francisco da Rocha Camargo Sobrinho, a matéria “Quatro passos para garantir dinheiro para o mês inteiro”. No texto, o fundador da Academia do Dinheiro Mauro Calil e a economista Franciele Lourenço dão dicas sobre como fazer o salário render até o fim do mês. 

A professora contou que se utilizou de diferentes mídias para o desenvolvimento desta prática, realizada em parceria com o Ler e Pensar, e envolveu diversos conteúdos relacionados ao sistema monetário. “Foram trabalhados os temas: a origem do dinheiro, a questão da economia, consumismo desenfreado, empréstimos, dívidas, o trabalho remunerado”, disse Emelina. 

Os alunos organizaram uma exposição contando a história do dinheiro, trouxeram moedas internacionais e abordaram também o uso de cheques, cartões de crédito e até mesmo uma simulação de caixa eletrônico foi criada. 

Além disso, Emelina teve o cuidado especial de abordar as consequências da má administração do dinheiro. A professora possibilitou aos alunos uma simulação de comércio de lanches e guloseimas, para que desta forma, as crianças tivessem a oportunidade de serem responsáveis pelo seu próprio dinheiro, fazendo escolhas e tomando decisões conscientes. 

De acordo com a professora, o trabalho foi muito significativo para a turma. Com certeza, trabalhar a consciência financeira ainda na infância é a melhor maneira de formar adultos mais responsáveis com relação ao próprio bolso.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE