i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Acidente aéreo

Airbus e fornecedoras são processadas por acidente do voo Air France 447

A ação foi enviada a um tribunal do Estado norte-americano de Illinois. O avião Airbus A330 que caiu no oceano era "defeituoso e irracionalmente perigoso", afirma o advogado

  • PorReuters
  • 20/10/2009 06:19

Um advogado norte-americano entrou com processo contra a fabricante de aviões Airbus e várias fornecedoras do setor aéreo na segunda-feira, em busca de compensações não especificadas em nome dos familiares de oito dos 228 passageiros que morreram quando um voo da Air France caiu na costa brasileira em junho.

O processo afirma que os reclamantes, parentes de alguns dos mortos no acidente com o voo Air France 447, "sofreram uma perda de apoio", além de outras perdas como resultado das mortes. A ação foi enviada a um tribunal do Estado norte-americano de Illinois.

O avião Airbus A330 que caiu no oceano era "defeituoso e irracionalmente perigoso", afirma o advogado.

Também são alvo da ação as fabricantes de peças aeronáuticas Honeywell International, General Electric, Rockwell Collins, Thales e a fabricante de chips Intel.

A Airbus, uma unidade da EADS, não comentou o assunto. "Tomamos conhecimento disso. Não comentamos sobre processos", disse Mary Anne Greczyn, gerente de comunicações da Airbus nos EUA, em email.

O voo 447 caiu no Oceano Atlântico após decolar do Rio de Janeiro em direção a Paris no dia 31 de maio, matando 228 pessoas. Investigadores afirmam ainda não saber o que causou o acidente do A330. A investigação pode levar mais um ano.

"Estamos apenas buscando compensação financeira justa, apoio financeiro para as perdas deles", disse Floyd Wisner, advogado especializado em acidentes aéreos, que entrou com a ação. Ele afirmou que, entre os reclamantes, estão pais, cônjuges e filhos de vítimas do acidente oriundos de Hungria, França, Argentina e de outros países.

"Não existem evidências de que qualquer produto da Honeywell a bordo do voo 447 estava com defeito ou não funcionou adequadamente", disse a Honeywell International em comunicado.

"Como nem a caixa preta nem a maior parte dos destroços foi encontrada, a ação perpetrada na corte de Illinois é somente especulação. Vamos defender agressivamente nossa reputação e nossos produtos e continuar a usar nossa tecnologia para ajudar a garantir que um evento tão trágico como esse possa ser evitado no futuro", acrescentou o comunicado.

A Intel afirmou em nota que, após uma análise inicial, não acredita que a ação tenha mérito no que diz respeito à fabricante de chips.

O porta-voz da Intel, Chuck Mulloy, afirmou na nota que a ação não traz acusações específicas contra a Intel, somente acusações gerais. "A Intel não vende componentes no mercado aeroespacial por bem mais de uma década", disse Mulloy. "Então, no que diz respeito à Intel, o caso não tem mérito."

Entre outros alvos do processo, a Rockwell Collins afirmou que não comenta processos pendentes. Representantes da Hamilton Sundstrand, unidade da United Technologies, e da GE disseram que essas empresas não analisaram o processo ou não poderiam comentá-lo.

Motorola, Thales, Du Pont, Goodrich e Raychem não retornaram imediatamente os pedidos por comentáriois. A Judd Wire não foi encontrada para falar sobre o caso.

Em agosto, a Reuters informou, da França, que a família de uma comissária de bordo que morreu no acidente buscava uma ação legal contra a Air France, segundo o advogado que representa os familiares.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.