Rebelde carrega o corpo de seu irmão, morto em Aleppo | Zac Baillie/AFP
Rebelde carrega o corpo de seu irmão, morto em Aleppo| Foto: Zac Baillie/AFP

O presidente da Síria, Ba­­shar Assad, afirmou ontem que as forças de seu governo precisam de tempo para vencer a guerra civil que corrói o país. "Nós estamos lutando em uma guerra global e regional, então é preciso de tempo para vencê-la. (...) Nós estamos avançando. A situação está praticamente melhor, mas ainda não foi decidida", disse Assad em uma rara entrevista.

Ontem, insurgentes sírios afirmam que destruíram cinco helicópteros militares em um aeroporto entre as cidades de Idlib e Aleppo, no norte do país.

A entrevista de Assad foi exibida por uma emissora privada de televisão da Síria, chamada Dunya. O ditador sírio também disse que enfrenta dificuldades em esmagar a rebelião por causa da ingerência de potências externas.

As declarações de Assad são um sinal de que o regime pode estar se preparando para um conflito prolongado contra os rebeldes em múltiplos frontes, incluindo Damasco, capital da Síria, Alepo, a maior cidade do pais, e diversas outras cidades da nação. Também parecem reforçar os comentários de Assad para um representante do Irã que visitou-o no fim de semana, de que a luta continuará "a qualquer preço."

Os rebeldes batalham para tirar Assad do poder. Ele chegou à presidência em 2000 ao suceder seu pai, o falecido Hafez Assad, que governou o país com mão de ferro por 30 anos.

Pelo menos 20 mil sírios foram mortos no conflito que começou em março de 2011, afirmam ativistas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]