Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Casa fica parcialmente submersa na localidade de Sarling, baixa Áustria, cerca de 80 km e oeste de Viena | Reuters/Leonhard Foeger
Casa fica parcialmente submersa na localidade de Sarling, baixa Áustria, cerca de 80 km e oeste de Viena| Foto: Reuters/Leonhard Foeger

Reunindo cerca de 26 mil bombeiros, 1,6 mil soldados e vários voluntários, a operação contra a inundação do Rio Danúbio, que corre aos arredores da capital Viena, e as tarefas de limpeza de escombros e reconstrução seguem intensas nesta quarta-feira (5), especialmente nas áreas mais ocidentais, onde as águas já começaram a baixar.

Desde o início do temporal e da onda de inundações, duas pessoas morreram na Áustria, enquanto uma mulher de 90 anos encontra-se em estado crítico, e a polícia local segue seus trabalhos em busca de dois desaparecidos.

Em alguns pontos do leste do país, a inundação do Danúbio superou nas últimas horas os níveis registrados nas devastadoras enchentes de 2002, conhecidas como "as inundações do século".

Enquanto em algumas regiões a água começou a baixar, em outras, especialmente em torno de Viena, o nível do rio ainda não chegou a alcançar seu ponto máximo, segundo os serviços hidrológicos.

Em Korneuburg, ao norte da capital, o nível do rio chegou nesta madrugada aos 7,92 metros, superando a máxima de 2002 (7,89 metros), e continuava crescendo nas horas seguintes.

Em Viena e outras localidades da região, o nível máximo deve ser alcançado nesta noite e, por isso, o alerta máximo segue vigente nessas áreas, informou a emissora pública "ORF".

Os habitantes da capital austríaca esperam com calma a chegada da cheia, confiantes que as medidas de proteção construídas nos últimos anos possam limitar a um mínimo os danos provocados, como ocorreu em algumas das outras cidades da república alpina.

No entanto, ontem, a capital registrou alguns pontos de alagamentos de estabelecimentos e portos situados à beira do Danúbio, assim como uma estação de metrô próxima.

Na cidade de Krems, a 50 quilômetros de Viena, as equipes de bombeiros, Exército e voluntários lutavam desde a madrugada para reforçar um dos diques de contenção.

Em outra zona, um dique de contenção de 800 metros de altura foi rachado pelas águas, enquanto voluntários, equipados com sacos de areia, tentavam impermeabilizá-lo para evitar o pior, informou o porta-voz dos bombeiros Franz Resperger.

Mais de 2 mil pessoas de 82 casas foram removidas da região de Bruck/Leitha na noite de ontem, depois que os hidrólogos, apesar de terem registrado uma redução do nível do rio, advertiram que a água estava a poucos centímetros de transbordar o dique que os protegia.

Em localidades como Grein, Schärding, Linz e Mauthausen, que ficaram completamente alagadas, as águas começaram a baixar nas últimas horas.

Segundo o serviço hidrológico, o nível da água em Grein chegou até os 14,29 metros pouco antes das 4h locais, e a situação de alerta não será rebaixada até que o nível desça abaixo 5,5 metros.

No oeste da Áustria está certo, embora não 100%, que o nível dos rios não voltará a subir após ter alcançado seu nível máximo nos últimos dias. Nessa região, as operações de limpeza e de remoção de escombros e lama já foram iniciadas, assim como a reconstrução dos edifícios.

Com imensos prejuízos e danos materiais, apesar dos mesmos não terem sido calculado, o chanceler federal, Werner Faymann, prometeu ontem ajudas rápidas e eficazes aos afetados. "Estaremos à disposição para ajudarmos no que for preciso", prometeu a ministra de Finanças da Áustria, Maria Fekter.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]