Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Agentes da patrulha de fronteira prendem um grupo de migrantes perto do centro de El Paso, Texas, em 15 de março de 2021.
Agentes da patrulha de fronteira prendem um grupo de migrantes perto do centro de El Paso, Texas, em 15 de março de 2021.| Foto: Justin Hamel / AFP

O número de imigrantes na fronteira sul dos Estados Unidos tem aumentado consideravelmente nos últimos meses e as críticas começam a chegar de todos os lados ao governo Biden, que está com dificuldades para resolver a situação.

O Departamento de Alfândegas e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP, na sigla em inglês) está a caminho de fazer mais de 130 mil prisões e detenções em março, perante 100 mil de um mês atrás e 34 mil de um ano atrás. O aumento marcante no número crianças e adolescentes migrantes que chegam no país fez o governo Biden reativar instalações de abrigo de menores que se assemelham muito às que Trump utilizou na gestão passada. Além disso há preocupações reais sobre a propagação de coronavírus entre imigrantes.

Aumento de fluxo e críticas

O líder dos republicanos na Câmara, Kevin McCarthy (R.-Calf.), visitou recentemente a fronteira do país e não poupou a nova administração pelo aumento do fluxo de imigrantes: “Não precisava acontecer. Esta crise é criada pelas políticas presidenciais desta nova administração”, disse.

“Vim aqui porque soube da crise. É mais do que uma crise. Esta é uma tragédia humana”, concluiu ele.

Neste domingo (14), a Patrulha de Fronteira dos EUA mantinha mais de 4.200 crianças migrantes desacompanhadas em instalações de detenção de curto prazo, incluindo estações semelhantes a prisões impróprias para abrigar menores, de acordo com registros do governo revisados pela CBS News.

As autoridades não podem esperar mais de 72 horas para dar um destino adequado às crianças, mas o fluxo repentino sobrecarregou os departamentos.

O número de crianças desacompanhadas sob custódia do CBP no domingo representou um aumento de 31% em relação ao início da semana passada, quando a agência mantinha mais de 3.200 menores. O número de crianças detidas por mais de três dias mais que dobrou.

Andrew Arthur, pesquisador residente em Direito e Política no Center for Immigration Studies, afirmou à National Review que é mais difícil para a Patrulha de Fronteira lidar com crianças.

“Você não pode colocar as crianças na rua. Não se pode soltar uma criança de 8 anos nas ruas de Laredo ou num ônibus”, disse ele. Para Arthur, o problema maior é “a lei que incentiva as pessoas a entrar nos Estados Unidos ou fazer com que seus filhos sejam contrabandeados para os Estados Unidos ilegalmente”.

Resposta democrata

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (15) que o governo “reconhece que este é um grande problema”. Contudo ela acusa o governo anterior pela crise: “A última gestão deixou-nos um sistema desmontado e inviável e, como qualquer outro problema, vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para o resolver. Portanto, nosso foco aqui está nas soluções”, disse ela.

Apesar da retórica voltada às soluções, até agora Biden pouco fez de efetivo para conter o fluxo de imigrantes. O site Politico, entretanto, conversou com democratas que indicaram quais caminhos o governo pretende seguir. Eles estão procurando por locais que possam servir como abrigos de emergência para menores que viajam sozinhos pela fronteira e ativando a Agência Federal de Gerenciamento de Emergências. Também estão considerando colocar uma equipe de Saúde e Serviços Humanos na fronteira para atender mais rapidamente as crianças e procurando maneiras de examinar mais rapidamente adultos que poderiam cuidar delas.

As medidas foram projetadas para aliviar parte da pressão que a Casa Branca enfrenta, em que até mesmo aliados dizem que está se tornando uma crise. Quando surgiram relatos de que o governo abriu um novo abrigo para crianças, alguns democratas rapidamente compararam as ações de Biden às de Trump, que adotou uma linha dura contra a imigração nos EUA.

“Isso não está bem, nunca esteve bem, nunca estará bem – não importa a administração ou o partido”, disse a deputada democrata Alexandria Ocasio-Cortez sobre a reativação do abrigo de emergência para crianças.

Deputados republicanos também já enviaram uma carta aberta ao Departamento de Segurança Interna dos EUA afirmando que “a situação de fronteira está se tornando insustentável a cada dia” e cobrando que Biden apresente um “plano de governo, se houver”.

A Casa Branca imagina que os problemas na fronteira podem ser resolvidos com a aprovação de uma extensa proposta de lei de imigração que Biden prometeu durante a campanha, mas o aumento repentino da imigração torna mais difícil o apoio republicano para a aprovação de uma nova lei no Congresso.

Enquanto isso, a grande maioria dos adultos presos que cruzam ilegalmente a fronteira atualmente é expulsa em poucas horas. Mas menores desacompanhados e algumas famílias com crianças pequenas que podem permanecer no país por questões humanitárias são rapidamente transportados para postos de patrulha de fronteira e centros alfandegários que geralmente ficam escondidos da vista por cercas e, em seguida, para abrigos e tendas nos arredores das cidades.

Apesar de o governo nunca ter afirmado que a fronteira estivesse aberta, as ordens executivas de Biden e os esforços para desmantelar os obstáculos à imigração da era Trump, como a política "Permanecer no México" para requerentes de asilo, também levaram a mais tentativas de travessia da fronteira.

De qualquer maneira, Biden precisará se mexer logo, tanto pelo drama humanitário como pela perda de capital político que uma crise de fronteira pode causar.

14 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]