Pelo menos 11 pessoas morreram nesta sexta-feira (17), entre elas dois rebeldes, em um bombardeio das tropas do regime de Bashar Al-Assad na cidade de Al Madira, nos arredores de Damasco, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Os soldados governamentais atacaram também as povoações de Al Kasua, Ain Tarma, Haze, Hamuria e Kafr Batna, sem que por enquanto haja registros de vítimas.

Enquanto isso em Aleppo, a maior cidade norte da Síria, as forças leais ao presidente Bashar Al-Assad bombardearam os bairros de Yalum e Ácaba, no centro desta cidade.

Estas informações não puderam ser comprovadas de forma independente devido às restrições impostas pelas autoridades sírias e os rebeldes aos jornalistas para trabalhar no terreno.

O ministro sírio de Relações Exteriores, Walid Muallem, afirmou hoje em Moscou que tinha entregado a seu colega russo, Sergei Lavrov um "plano de medidas de segurança" para a região de Aleppo, que inclui um cessar-fogo e que poderia se estender a outras zonas do país.

O ministro sírio acrescentou que pediu a Lavrov que entabule "os contatos necessários para garantir o cumprimento do plano e estabelecer a data exata da cessação de todas as ações militares" em Aleppo.

Além disso, Moualem disse que seu Governo "é propício à troca de presos que se encontram nas prisões sírias por prisioneiros capturados pela outra parte".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]