i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Apenas "patriotas"

China prepara reformas eleitorais para Hong Kong em mais uma intervenção na política da ilha

  • 23/02/2021 17:46
Ativistas pró-democracia protestam em frente a Corte em Hong Kong, em 16 de fevereiro, durante julgamento de ativistas veteranos por terem organizado protestos de 2019
Ativistas pró-democracia protestam em frente a Corte em Hong Kong, em 16 de fevereiro, durante julgamento de ativistas veteranos por terem organizado protestos de 2019| Foto: Anthony WALLACE / AFP

Xia Blong, diretor do Escritório de Assuntos de Hong Kong e Macau, disse nesta segunda-feira (22) que Hong Kong passará por reformas eleitorais cujo objetivo é impedir que a oposição "anti-China" participe do governo da cidade. Apenas patriotas podem governar Hong Kong, o que, para ele, deve ser um princípio fundamental para garantir o funcionamento da política "um país, dois sistemas".

"Apenas em Hong Kong algumas pessoas mostrariam sua rebelião contra sua pátria... ou até mesmo usariam sua oposição ao país, a rejeição do [Governo Central] e a demonização de seu próprio grupo étnico como slogans eleitorais", disse Xia, acrescentando que pessoas que "difamam" a China e a cidade e os que "imploram" por intervenção estrangeira não serão vistos como patrióticos.

É mais um recado a políticos de oposição de Hong Kong  depois que a lei de segurança da cidade, escrita e aprovada pelo Partido Comunista Chinês, entrou em vigor. No ano passado, vários ativistas pró-democracia foram impedidos de concorrer nas eleições parlamentares - adiadas para setembro deste ano - porque se opuseram à lei de segurança nacional de Hong Kong. Detalhe: as críticas foram feitas antes da aprovação da legislação. Outra ordem de Pequim para acabar com a autonomia política da ilha foi uma resolução dando poderes às autoridades locais [aliadas do governo central] para demitir imediatamente legisladores que apoiem a independência de Hong Kong, se recusem a reconhecer a soberania da China ou busquem a interferência de países estrangeiros nos assuntos da cidade.

Após a aprovação da resolução pelo Partido Comunista Chinês, quatro parlamentares pró-democracia foram imediatamente demitidos e os colegas de bancada renunciaram em apoio, praticamente acabando com a bancada opositora no legislativo da cidade.

Xia disse que a oposição em Hong Kong é "anti-China". Por meio de eleições na cidade estes "separatistas" conseguiram cargos no legislativo da cidade (Legco), nos conselhos distritais e no Comitê de Eleição do chefe-executivo de Hong Kong – e uma das reformas eleitorais que estão sendo estudadas pelo partido visa justamente a composição deste comitê.

De acordo com uma reportagem do Wall Street Journal, os legisladores da China (central) devem votar uma proposta que mudará a composição do comitê de 1.200 membros que escolhe o chefe-executivo de Hong Kong – cargo atualmente ocupado por Carrie Lam. Fontes a par do assunto disseram ao jornal americano que as 117 cadeiras destinadas aos conselheiros distritais – atualmente dominadas pela oposição, após uma vitória eleitoral massiva no fim de 2019 – podem ser reduzidas ainda mais ou até mesmo eliminadas. O vácuo seria ocupado por integrantes da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, o principal órgão político consultivo da China. Essas alterações seriam votadas em sessão do Congresso Nacional do Povo, que se reúne em 5 de março.

As atuais regras do Comitê de Eleição impedem que um político não alinhado a Pequim seja escolhido chefe-executivo de Hong Kong, já que são necessários 600 votos para aprovação de um nome. Mas o objetivo da reforma seria eliminar a presença de qualquer opositor do centro do poder da cidade semiautônoma.

Outra proposta que está sendo estudada por Pequim é uma reforma da eleição distrital, para que seja evitada uma derrota acachapante dos políticos pró-governo central como a observada na eleição de novembro de 2019, quando a oposição ficou com 388 assentos dos 452 em disputa nos 18 conselhos distritais de Hong Kong.

As mudanças no conselho distrital já começaram, no entanto. Nesta terça-feira, o governo de Hong Kong enviou um projeto de lei que impedirá conselheiros distritais de disputar as eleições por cinco anos se forem desqualificados por não cumprirem a Carta Magna da cidade ou o juramento obrigatório previsto na lei de segurança nacional de Hong Kong. Sem oposição no legislativo principal, o projeto deve passar.

"Posições importantes", disse Xia, referindo-se a cargos nos poderes executivo, legislativo e judiciário, "em hipótese alguma podem ser assumidas por forças anti-China que desorganizem Hong Kong".

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • M

    Marlon Nadal

    ± 0 minutos

    O PCCh é um antro de genocidas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • C

      Carlos Eduardo

      ± 1 horas

      Viva Xi. Viva Biden. Viva o progressismo. E os incautos acham que não é parecido com o coronavírus, que não respeitou oceanos nem distâncias...

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      Fim dos comentários.