i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
diplomacia

Comunicado dos EUA provoca tensão no governo chinês

O debate sobre o controle da região do Pacífico tem crescido bastante, se tornando um delicado embate diplomático entre EUA, China e os países que também reivindicam o controle local

  • PorAgência Estado
  • 05/08/2012 17:36

A China sinalizou sua insatisfação com os Estados Unidos sobre um anúncio feito pelo governo norte-americano. Na última sexta-feira, o Departamento de Estado dos EUA fez um pronunciamento sobre possíveis tensões que Pequim vem provocando com outros países no Mar da China Meridional para a instalação de uma base militar no local.

O Ministério do Exterior da China incitou uma reunião com o embaixador dos EUA em Pequim, Robert Wang, para apresentar sua insatisfação sobre o comunicado feito pelo Departamento de Estado dos EUA. Um porta-voz da embaixada americana em Pequim confirmou que Wang se reuniu com os chineses, mas os detalhes não foram fornecidos.

O debate sobre o controle da região do Pacífico tem crescido bastante, se tornando um delicado embate diplomático entre EUA, China e os países que também reivindicam o controle local, como Filipinas, Vietnã, Malásia, entre outros.

No anúncio feito na sexta-feira, os EUA ressaltaram sua posição em não assumir lados sobre a disputa territorial, e que o seu interesse é que se mantenha a liberdade de navegação dos navios no embarque e desembarque.

O Mar da China Meridional é uma importante rota de comércio, e é tida como uma potencial área de exploração de petróleo e gás natural.

Em julho, a Comissão Central Militar da China aprovou a instalação de uma base militar na região. Porém, não se sabe que tipo de controle militar Pequim implantaria. Analistas dizem que esse movimento feito pelo governo chinês pode ameaçar a estabilidade no local.

O governo chinês diz que acordos serão feitos de maneira pacífica entre os países da região, e que o anúncio do Departamento de Estado Americano foi para "minar a estabilidade e a prosperidade econômica da região Ásia-Pacífico".

A acusação do Departamento de Estado Americano "não conduz para a união e a cooperação entre os países ou para paz e estabilidade nessa região do mundo", disse em comunicado o Ministério do Exterior da China. As informações são da Dow Jones.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.