Embalagem com doses da vacina contra Covid-19 da AstraZeneca/Universidade de Oxford é descarregada no aeroporto de Mumbai, 24 de fevereiro, parte da ação da Covax
Embalagem com doses da vacina contra Covid-19 da AstraZeneca/Universidade de Oxford é descarregada no aeroporto de Mumbai, 24 de fevereiro, parte da ação da Covax| Foto: INDRANIL MUKHERJEE / AFP

Vacinas contra a Covid-19 começaram a ser entregues por meio da Covax Facility, um mecanismo internacional que tem como objetivo garantir a distribuição de imunizantes a países em desenvolvimento. Gana tornou-se o primeiro país beneficiário da iniciativa ao receber 600 mil doses da vacina da AstraZeneca/Oxford nesta quarta-feira (24).

"Hoje damos um primeiro passo importante para concretizar nossa visão compartilhada de igualdade de vacinas, mas é apenas o começo. Ainda temos muito trabalho a fazer com governos e fabricantes para garantir que a vacinação de profissionais de saúde e idosos esteja em andamento em todos os países nos primeiros 100 dias deste ano", disse o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Embora um cronograma não tenha sido divulgado, a Gavi, organização internacional que está liderando os esforços da Covax junto à OMS, afirmou que outras entregas serão feitas ainda neste mês para países que já atenderam aos critérios do programa. O próximo país a receber as primeiras doses será a Costa do Marfim. O carregamento deve chegar na sexta-feira.

A distribuição desta primeira rodada de carregamentos deve acelerar em março, com todos os países participantes recebendo doses de vacinas nas próximas semanas. O Brasil, que faz parte do consórcio, deve receber 10,6 milhões de imunizantes no primeiro semestre, mas, consultada pela Gazeta do Povo, a Gavi não informou datas e quantidades de doses que serão entregues ao país nesta primeira leva.

O que é o Covax?

É uma iniciativa global criada em abril de 2020 para garantir a vacinação contra a Covid-19 de 20% da população das 145 nações participantes, especialmente das mais pobres, que não têm condições de comprar imunizantes em um mercado competitivo. A maioria dos 92 países que receberão doses gratuitamente pelo Covax ainda não iniciou a vacinação.

O mecanismo foi iniciado pela Organização Mundial de Saúde, a Gavi e a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations, duas organizações filantrópicas que têm trabalhado para levar vacinas para países em desenvolvimento.

Quais e quantas vacinas serão distribuídas?

O Covax fez acordos com várias farmacêuticas – Pfizer, Novavax, Johnson & Johnson, AstraZenca, entre outras – para garantir a compra de pelo menos 2,2 bilhões de doses de vacinas contra a Covid-19 até o fim deste ano. Até o fim de junho, 336 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford e 1,2 milhão de doses da vacina da Pfizer serão enviadas aos países participantes – o suficiente para vacinar 3,3% das populações dos 145 países participantes do Covax.

Porém, para que a meta seja alcançada, será necessário mais financiamento e que vacinas desenvolvidas por outras farmacêuticas se comprovem eficazes para entrar no mercado. Os acordos de compra da Covax com os fabricantes estão vinculados à inclusão do imunizante em uma lista de uso de emergência da OMS, que é usada por órgãos reguladores em muitos países em desenvolvimento para aprovar as vacinas localmente.

Quem está financiando o Covax?

Ao menos 1,3 bilhão de doses de vacina serão financiadas por doadores e destinadas a 92 países de baixa renda que receberão as vacinas gratuitamente – como é o caso da Bolívia na América do Sul. Os demais países participantes, como o Brasil, a Argentina e o Canadá, pagarão para receber as vacinas.

As doações ao programa vêm de governos e instituições internacionais, como a Bill & Melinda Gates Foundation. O Reino Unido, por exemplo, doou US$ 734 milhões à iniciativa. Recentemente, os Estados Unidos prometeram US$ 4 bilhões para o Covax. Países ricos também estão se comprometendo a doar o excedente de vacinas.

Como serão distribuídas as doses entre os países participantes?

A distribuição de doses será feita de forma gradual, já que a produção de vacinas é limitada e há muita concorrência entre governos para comprá-las. Os cronogramas de remessa serão impactados pela preparação logística e prazos de entrega das vacinas pelos fabricantes, que podem variar dependendo da localização do país, segundo a Gavi.

Quais são os critérios do programa?

Para que as doses sejam entregues aos participantes do programa, uma série de requisitos precisam ser cumpridos, como a aprovação das vacinas que serão entregues pelos órgãos regulatórios do país destinatário, acordos de indenização com fabricantes, planos nacionais de vacinação dos países participantes, licenças de exportação e importação, entre outros fatores logísticos. Quando os participantes atenderem aos critérios e finalizarem os preparativos, a Covax emitirá as ordens de compra ao fabricante e enviará as doses.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]