Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Pessoas passam pela Trump Tower em Nova York, Nova York, EUA, 29 de junho de 2021.
Pessoas passam pela Trump Tower em Nova York, Nova York, EUA, 29 de junho de 2021.| Foto: JUSTIN LANE/Agência EFE/Gazeta do Povo

O diretor financeiro da Organização Trump, Allen Weisselberg, se apresentou às autoridades de Nova York nesta quinta-feira (1º), horas antes de ser formalmente indiciado por crimes fiscais.

Weisselberg, que trabalha para a empresa do ex-presidente dos Estados Unidos há décadas e é uma figura-chave na organização, chegou logo pela manhã acompanhado de seu advogado ao prédio de Manhattan que abriga os tribunais e a procuradoria do distrito, de acordo com vários meios de comunicação locais.

O executivo da Organização Trump deve prestar depoimento esta tarde perante um juiz junto com representantes da empresa, que também será indiciada no mesmo caso.

Por enquanto, as acusações exatas são desconhecidas, já que o indiciamento aprovado ontem por um grande júri ainda é mantido em segredo e os procuradores tampouco divulgaram quaisquer detalhes.

De acordo com o Wall Street Journal, as acusações estão ligadas à evasão fiscal, depois que a procuradoria investigou por meses se Weisselberg e outros funcionários da empresa evitaram pagar impostos sobre algumas compensações que receberam, como veículos, apartamentos e matrículas em escolas particulares.

Se os procuradores puderem comprovar que a empresa e seus executivos evitaram sistematicamente o pagamento de impostos, eles podem ser indiciados por crimes mais sérios, acrescentou o jornal.

Um porta-voz da Organização Trump disse à Fox News que Weisselberg "está sendo usado pelo promotor distrital de Manhattan como um peão em uma tentativa infrutífera de prejudicar o ex-presidente" Donald Trump. "Isso não é justiça; isso é política", afirmou.

O que é investigado

As acusações são as primeiras correspondentes às investigações que o procurador do distrito de Manhattan, Cyrus Vance, mantém há cerca de três anos sobre os negócios do ex-presidente dos EUA.

As investigações sobre a empresa de Trump aceleraram nos últimos meses, com vários executivos sendo chamados para testemunhar perante um grande júri em preparação para possíveis acusações.

Os procuradores investigam possíveis fraudes fiscais, em seguros e outras infrações criminais, supostamente cometidas antes da chegada de Trump à Casa Branca.

Isso poderia incluir avaliações inflacionadas, abatimentos injustificados e contabilidade duplicada para não pagar ou pagar muito menos impostos durante anos, segundo a imprensa americana.

Vance conseguiu uma importante vitória no último mês de fevereiro, quando obteve acesso a anos de declarações de impostos de Trump após uma longa batalha legal na qual a Suprema Corte acabou rejeitando os argumentos do ex-presidente para manter esses documentos confidenciais.

A procuradoria também vem investigando os pagamentos secretos de dinheiro que a campanha eleitoral de Trump fez à atriz pornô Stormy Daniels para impedi-la de tornar pública uma suposta relação sexual com o então candidato à presidência, já que poderiam violar a legislação do estado de Nova York.

O ex-presidente republicano sempre negou qualquer irregularidade e denunciou repetidamente que as investigações são o resultado de perseguições políticas por procuradores democratas.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]