i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
radicalismo

Em áudio, líder do EI chama muçulmanos à luta

Em gravação de 35 minutos, Abu Bakr al-Baghdadi diz que o Islã “é a religião da guerra” e promete matar judeus, cristãos e “outros infiéis”

    • Cairo e beirute
    • Reuters, EFE e Agência O Globo
    • 14/05/2015 22:00
    Abu Bakr al-Baghdadi apareceu em apenas um vídeo até hoje. | Reprodução / Youtube
    Abu Bakr al-Baghdadi apareceu em apenas um vídeo até hoje.| Foto: Reprodução / Youtube

    O grupo radical Estado Islâmico (EI), que controla partes da Síria e do Iraque, divulgou ontem gravações de áudio atribuídas ao líder da facção, Abu Bakr al-Baghdadi, dado como gravemente ferido no mês passado. Na gravação, al-Baghdadi diz que o Islã é a “religião da guerra” e convoca os muçulmanos a pegarem em armas em todas as partes do mundo.

    Dez países árabes formarão grupo para proteger patrimônio

    Grupo radical ficou conhecido por destruir o patrimônio histórico do Oriente Médio. Nesta quinta-feira, jihadistas enfrentam forças sírias perto da cidade histórica de Palmira.

    Leia a matéria completa

    “Não há desculpa para qualquer muçulmano não migrar para o Estado Islâmico”, diz a mensagem. “Juntar-se (à sua luta) é um dever de todos os muçulmanos. Estamos convidando você a se juntar ou pegar em armas onde quer que esteja”. A declaração foi divulgada pelo veículo de comunicação do grupo chamado Al-Furqan e publicada em vários sites.

    Segundo a mensagem de Baghdadi, o profeta Maomé foi ordenado a fazer a guerra “até que somente Alá seja adorado”. “A guerra que estamos travando não é só a guerra do Estado Islâmico. É a guerra de todos os muçulmanos”, afirma. Ele diz que a jihad (guerra santa) “é a guerra das pessoas de fé contra os infiéis” e “é obrigatória para todo muçulmano que preste contas a Alá”.

    Por isso, diz também que “não há desculpa para qualquer muçulmano que seja capaz de unir-se ao EI ou de portar uma arma”, já que a luta “é uma obrigação”. Ele rejeita qualquer conciliação com outras religiões como “os judeus, cristãos ou outros infiéis” e diz que os muçulmanos vão expulsar, matar, prender e deixar sem teto “os cruzados”, em alusão ao Ocidente.

    Mais um fiel

    O grupo jihadista Al Mourabitoun, ativo em países como Mali, Níger e Líbia, declarou ontem lealdade ao Estado Islâmico. Em gravação, o grupo revela o nome de seu emir, Adnan abul Walid El Saharaui, de nacionalidade desconhecida.

    Al-Baghdadi condenou ainda os ataques comandados pela Arábia Saudita no Iêmen. Uma coalizão liderada pelos sauditas vem atacando o grupo xiita dos houthis, que tem apoio do Irã e domina grande parte do país após uma guerra civil.

    Foi a primeira mensagem do líder do EI em seis meses. No mês passado, o diário britânico “Guardian” afirmou que al-Baghdadi teria ficado paraplégico após ser ferido em um bombardeio da coalizão liderada pelos Estados Unidos. O Pentágono não confirmou a informação. Agências internacionais de notícias chegaram a afirmar que ele teria morrido durante o ataque.

    A gravação tem cerca de 35 minutos de duração e foi divulgada com traduções em inglês, russo, turco, francês e alemão.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.