A disputa

Leia o perfil dos principais candidatos

Viktor Yanukovich

– Primeiro-ministro– 57 anos– Se opõe à entrada do país na Otan– Pró-russo– Tem o apoio da população russa

Yulia Timochenko

– 56 anos– ex-primeira-ministra do governo Yushenko– Líder da "Revolução Laranja"

Viktor Yushenko

– 53 anos– Favorável à entrada do país na UE e na Otan

Kiev - A Ucrânia está mais uma vez dividida entre o desejo de integração à União Européia (UE) e a fidelidade à Rússia – país-irmão durante os mais de 70 anos de era soviética. Mas ao contrário do que ocorreu em 2004, quando os ucranianos foram às ruas para exigir uma mudança de sistema, a eleição de hoje para o Parlamento é marcada pelo ceticismo.

As forças da chamada Revolução Laranja de três anos atrás perderam credibilidade e o partido do presidente, o político pró-Ocidente Viktor Yushchenko – herói de 2004 – despencou para 12% das intenções de voto. As últimas pesquisas dão leve vantagem ao bloco liderado por ele, mas o partido pró-Russia do premier Viktor Yanukovich pode tentar forjar uma aliança com socialistas ou comunistas – caso os dois partidos, pequenos, consigam o mínimo de 3% para entrar no Parlamento.

O pleito foi antecipado depois que o presidente dissolveu o Parlamento em abril. O país esteve à beira de um conflito armado entre forças comandadas pelo presidente e as subordinadas ao primeiro-ministro.

Até abril último, o Ocidente via a Ucrânia dividida entre o "positivo", representado por Yushchenko e por Yulia Tymochenko, e o "negativo", Yanukovich, chamado de "vassalo do Kremlin". Mas essa imagem mudou bastante. Segundo Anatoly Rachok, diretor do Centro de Estudos Econômicos e Políticos de Kiev, Yanukovich flexibilizou suas posições e começou a defender um ingresso do país na UE. Ele começou também a fazer pronunciamentos em ucraniano, para alcançar melhor a população do oeste da Ucrânia. Antes, costumava falar mais em russo. "Yanukovich foi bastante ajudado por dois fatores. O primeiro foi a série de erros de Yushchenko, desperdiçando o voto de confiança que teve em 2004. O outro foi a melhora da situação da economia do país, que tem ótimas taxas de crescimento", afirma Rachok.

Os programas dos dois blocos são, no fundo, parecidos. A principal diferença é que Yanukovich mantém firme sua postura contra o ingresso na Otan. Para Leonid Kozhara, diretor internacional do Partido das Regiões, o conflito entre Yushchenko e Yanukovich não é de conteúdo partidário mas pessoal.

Yulia Tymochenko, por sua vez, tornou-se a política preferida das mulheres. Conseguiu sobreviver à última briga com Yushchenko, ano passado, e voltou mais forte. Seu bloco poderá ter de 22% a 25%. Ela também aprendeu nos últimos três anos. "Yulia é a única política capaz de devolver a segurança material às pessoas simples", diz Konstantina Ibanowa, professora primária de Ivankow, cidade a 70 quilômetros de Kiev. Konstantina acusa o antigo regime soviético de machista. As mulheres não tinham chance de fazer carreira política, diz ela. Para Konstantina, só hoje a Ucrânia começa a redescobrir seu passado europeu e a dar às mulheres chances iguais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]