i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Radioatividade

Exames descartam contaminação de italiano ligado a espião russo

  • PorReuters/Brasil Online/O Globo Online
  • 02/12/2006 13:44

Exames iniciais em um contato italiano do ex-espião russo Alexander Litvinenko não mostram sinais de contaminação radioativa, disse um hospital britânico no sábado.

Mario Scaramella foi internado no hospital em Londres após ter sido detectado em seu corpo o polônio 210, a mesma substância radioativa que matou Litvinenko.

O mistério sobre a morte do espião russo espalhou pânico depois que autoridades britânicas disseram nesta semana que traços de radiação haviam sido encontrados em 12 locais e em aviões que transportaram 33 mil passageiros no mês passado, alguns voando entre Londres e Moscou. O assunto também afetou as relações entre Rússia e Grã-Bretanha.

``Ele está bem. Testes preliminares até agora não mostram evidência de toxicidade radioativa'', disse um porta-voz do University College Hospital de Londres referindo-se a Scaramella. Outros testes devem ocorrer durante o final de semana.

Autoridades disseram ter encontrado traços de polônio 210 na urina de uma parente de Litvinenko, que segundo a mídia britânica seria sua viúva, Marina. Eles disseram que ela não corria perigo imediato e que qualquer dano a longo prazo parecia ser improvável.

Scaramella encontrou Litvinenko em um restaurante japonês londrino em 1o de novembro, mesmo dia em que o russo adoeceu, para mostrar a ele e-mails de uma fonte avisando que a vida de ambos corria perigo.

Litvinenko, um ex-agente que se tornou um impiedoso crítico do Kremlin, acusou, em carta escrita antes de morrer, o presidente russo Vladimir Putin pela sua lenta e dolorosa morte. Moscou nega envolvimento. Outras teorias levam ao envolvimento de outros agentes russos no assassinato.

Testes de radiação na universidade irlandesa onde o político russo Yegor Gaidar caiu enfermo na semana passada e no hospital onde ele foi tratado deram negativo, disseram autoridades locais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.