Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Representantes empresariais alertaram para a falta de peças e componentes, após restrições impostas pelo Banco Central às importações devido à falta de moeda estrangeira na Argentina
Representantes empresariais alertaram para a falta de peças e componentes, após restrições impostas pelo Banco Central às importações devido à falta de moeda estrangeira na Argentina| Foto: EFE/Juan Ignacio Roncoroni

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, prometeu nesta sexta-feira (29) que a indústria automotiva local, um dos mais importantes ramos do país, não terá a produção afetada pela falta de dólares.

“A preocupação central nas nossas cabeças é que a produção argentina não deve ser interrompida devido à falta de dólares”, disse Fernández ao visitar uma fábrica da Nissan na província de Córdoba.

Fernández fez estas declarações após representantes empresariais do setor automotivo terem alertado há dias para os problemas na continuação da produção devido à falta de certas peças e componentes importados, situação causada pelas restrições impostas pelo Banco Central às importações devido à falta de moeda estrangeira no país.

A indústria automotiva argentina produziu um total de 434.753 automóveis e veículos comerciais leves em 2021, número que representa uma recuperação de 69% em relação ao ano anterior, quando a produção tinha caído 18,3%.

Fernández apontou que neste ano os terminais argentinos produzirão o dobro das unidades produzidas em 2019, quando foram fabricadas 314.787 unidades, “e isto dá uma orientação sobre a recuperação que a indústria tem”.

“E uma grande parte dessa produção está a sendo exportada, e é uma exportação crescente”, frisou o chefe de Estado.

Fernández declarou que o aumento das vendas no exterior é o que permite que os tão necessários dólares entrem no país para que a produção possa ser sustentada.

“O grande segredo para que o crescimento seja sustentado é ter um financiamento em dólares adequado para que as peças necessárias para a produção de automóveis e autopeças possam ser importadas”, analisou.

Segundo os últimos dados do setor, no primeiro trimestre do ano, a Argentina produziu 105.058 unidades, 17,7% a mais do que no mesmo período de 2021, e exportou 53.945 veículos, representando um aumento anual de 9,3%, sendo Brasil, Peru e Chile os principais destinos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]