Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Atenas – O primeiro-ministro grego, o conservador Costas Caramanlis, disse ontem que os incêndios, que atingem o país há onze dias e já mataram 65 pessoas, podem ter sido criminosos, e afirmou ser "evidente" a aplicação de medidas para evitar a especulação com o solo queimado.

A duas semanas das eleições antecipadas de 16 de setembro e com grande parte do Peloponeso e a ilha de Eubea queimados, Caramanlis deu sua opinião sobre a maior tragédia ocorrida no país nos últimos 80 anos em entrevista ao jornal Kazimerini.

"Tenho certeza de que os gregos têm suas dúvidas. Tantos incêndios, ao mesmo tempo e em tantos lugares diferentes, não pode ser uma coincidência", disse Caramanlis.

No sábado, o primeiro-ministro sobrevoou, acompanhado pelo presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, as áreas queimadas no Peloponeso e ontem visitou por terra a ilha de Eubea.

Com os últimos números, sobe para quase 200 milhões de dólares o valor total das indenizações aos pouco mais de 40 mil desabrigados, nos últimos quatro dias. Além disso, na sexta-feira o Governo se comprometeu a construir ou reconstruir as casas destruídas pelo fogo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]