i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Energia

Japão desliga último reator nuclear em funcionamento

O reator de número quatro da central de Ohi, no oeste do país, vai parar de gerar eletricidade na madrugada de segunda-feira (16)

  • PorAgência O Globo
  • 15/09/2013 07:47

O Japão vai desligar, para manutenção, o seu último reator nuclear em funcionamento, sem qualquer calendário para o reinício das operações. O reator de número quatro da central de Ohi, no oeste do país, vai parar de gerar eletricidade na madrugada de segunda-feira (16).

Uma vez desligado o reator, o Japão estará totalmente privado de energia nuclear. Analistas indicam que o país vai ficar sem energia nuclear até, no mínimo, dezembro, o mais longo período desde 1960.

Após o acidente de Fukushima, provocado pelo terremoto e tsunami de 11 de março 2011 no nordeste do Japão, todas as 50 reatores nipônicas fecharam progressivamente, respondendo a protestos da população. Antes do acidente, as usinas nucleares eram responsáveis ??por cerca de 30% da energia do Japão.

Japão ficou sem energia nuclear durante maio e junho do ano passado, mas a operadora Tepco foi autorizado a reiniciar seus reatores Ohi.

O governo tem sido pressionado a fortalecer as normas de segurança nas usinas. Analistas dizem que deve demorar cerca de seis meses para realizar todas as verificações de segurança e obstáculos jurídicos em Ohi antes de um reinício.

O encerramento da central deixa a terceira maior economia do mundo sem energia atômica pela segunda vez desde que começou a crise de Fukushima. A primeira ocorreu entre maio e julho de 2012.

O novo apagão nuclear acontece num momento em que o governo se prepara, após a aprovação em julho de uma nova regulamentação de segurança, para reativar alguns dos reatores que ficaram fora de funcionamento. No total, uma dezena de reatores, incluindo os da central de Ohi, esperam receber autorização para reabrir ao abrigo da nova legislação.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.