Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
explosão beirute
Socorrista cuida de um homem ferido após uma explosão no porto de Beirute, em 4 de agosto de 2020| Foto: PATRICK BAZ/AFP

Vários países estão prestando apoio ao Líbano após a tragédia que matou mais de cem pessoas em Beirute nesta terça-feira (4).

A Austrália disse que vai doar US$ 1,4 milhões ao Líbano em apoio humanitário. Segundo a ministra das Relações Exteriores da Austrália, Marise Payne, o dinheiro será destinado ao Programa Mundial de Alimentos e à Cruz Vermelha para ajudar a garantir que alimentos, assistência médica e itens essenciais sejam fornecidos às pessoas afetadas. Um australiano morreu na explosão e a embaixada do país foi danificada.

A França enviou à capital libanesa dois aviões militares com equipes de resgate, 15 toneladas de equipamentos sanitários e uma clínica móvel que poderá atender 500 pessoas feridas na explosão. O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou que visitará o Líbano, ex-protetorado francês, na quinta-feira (6) para se encontrar com os líderes políticos do país.

Alemanha, Rússia, Indonésia, Jordânia, Chipre, Iraque, Egito, República Tcheca e a União Europeia também anunciaram que estão mandando ajuda para o resgate de sobreviventes e tratamento de feridos.

A situação no Líbano é delicada. Os hospitais da capital estão lotados, o porto ficou inoperante e o principal silo de grãos do país foi destruído na explosão, causando temores sobre uma possível crise de segurança alimentar, informou a Reuters.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]