i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
estados unidos

Maduro nomeia primo de Chávez para chefiar Citgo nos EUA

Presidente da Venezuela disse que Asdrúbal Chávez irá reconstruir a subsidiária americana da petroleira PDVSA

    • São Paulo
    • Folhapress
    • 23/11/2017 11:00
    A mudança na diretoria da Citgo acontece depois da prisão de seis membros da empresa acusados de causar prejuízo ao regime chavista | Pixabay/
    A mudança na diretoria da Citgo acontece depois da prisão de seis membros da empresa acusados de causar prejuízo ao regime chavista| Foto: Pixabay/

    O ditador venezuelano, Nicolás Maduro, indicou nesta quarta-feira (22) o ex-ministro do Petróleo Asdrúbal Chávez, primo do ex-presidente Hugo Chávez (1954-2013), para presidir a Citgo, subsidiária americana da petroleira PDVSA.  A mudança na diretoria acontece depois da prisão do chefe da empresa, José Ángel Pereira, e de cinco diretores sob a acusação de refinanciarem uma dívida de US$ 4 bilhões da Citgo causando prejuízo ao regime chavista.  

    Em cadeia nacional de rádio e TV, Maduro disse que Asdrúbal "reconstruirá a Citgo". O primo de Chávez foi ministro do Petróleo entre 2014 e 2015, vice-presidente da PDVSA e tem uma carreira de mais de 30 anos no setor petrolífero.  

    Leia também: Norte-coreanos e membros do governo da Venezuela serão impedidos de entrar nos EUA

    Segundo Tarek William Saab, procurador-geral designado pela Assembleia Constituinte chavista, os dirigentes presos ofereceram como garantia a própria Citgo, que tem três refinarias e uma rede de postos de gasolina nos EUA.  

    "Eles apareciam como facilitadores da estratégia de pressão internacional, talvez a serviço de uma potência estrangeira contra o país", disse Saab —a renegociação aconteceu em julho, auge dos protestos da oposição ao chavismo.  

    Pereira e os diretores da Citgo Tomeu Vadell, Alirio Zambrano, Jorge Toledo, Gustavo Cárdenas e José Luis Zambrano foram acusados formalmente de peculato, tráfico de influências, lavagem de dinheiro e associação criminosa.  

    Os diretores, porém, têm cidadania americana, o que deve elevar a tensão entre Maduro e Donald Trump. Em nota, o Departamento de Estado disse que a cidadania "garante-lhes [aos presos] direitos perante a lei internacional".  

    A Chancelaria americana solicitou à Venezuela informações sobre o processo e visita de diplomatas do país aos presos. Maduro disse que eles serão julgados no país caribenho, mesmo se for pressionado pela Casa Branca.  

    "Estas pessoas nasceram na Venezuela e serão julgados como ladrões, corruptos e traidores da pátria. Estão presos e bem presos", disse o dirigente, que os acusou de colaborar com a CIA (Agência Central de Inteligência dos EUA).  

    Após a posse de Saab, um aliado do regime, mais de 60 executivos da PDVSA e de suas subsidiárias foram detidos. Na semana passada, a petroleira estatal entrou em calote parcial após não pagar os juros de seus títulos da dívida.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.