Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A maioria dos refugiados são mulheres e crianças
A maioria dos refugiados são mulheres e crianças| Foto: EFE/EPA/ROBERT GHEMENT

Milhares de refugiados ucranianos estão chegando à Itália através da fronteira do país com a Eslovênia, segundo informaram nesta terça-feira (8) a Unicef e a ONG Save the Children. Ao todo, de 300 a 600 pessoas chegam ao país todos os dias. Na maioria, são mulheres, crianças e idosos.

Nos últimos quatro dias, as organizações atenderam 1,6 mil pessoas que cruzaram a fronteira do território italiano, na cidade de Trieste. Na região, os voluntários distribuem bens de primeira necessidade, como cobertores, sabonetes, compressas, comida, água, máscaras, assim como jogos e livros de colorir para as crianças.

As crianças representam 40% dos refugiados. “Elas estão esgotadas, após uma longa e difícil viagem, e têm medo em seus olhos pelo que viram. Em muitos casos, as mães se sentem sobrecarregadas pelo sentimento de responsabilidade com os filhos e angústia pelos familiares que ficaram para trás", disse Raffaela Milano, diretora dos programas da Save the Children na Itália.

Além disso, a coordenadora do Escritório Regional da Unicef para a Europa e Ásia Central no país, Anna Riatti, destacou a necessidade de "garantir uma informação adequada nos principais pontos de entrada e tráfego, a identificação correta dos menores e a ativação de canais de acolhimento, que também envolvam a sociedade civil, como o acolhimento familiar".

Desde o início da invasão russa, 17.286 cidadãos ucranianos chegaram à Itália, sendo 8.608 mulheres, 1.682 homens e 6.996 menores de idade, segundo dados atualizados pelo Ministério do Interior. A maioria se dirigiu às cidades de Roma e Bologna, ambas na região central, Milão, no norte, e Nápoles, no sul.

Na segunda-feira (7), a ministra do Interior da Itália, Lucia Lamorgese, anunciou que os controles de fronteira serão reforçados, para ajudar os refugiados, diante da expectativa do recebimento de até 900 mil pessoas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]