O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou ontem que os Estados Unidos e as outras potências mundiais devem pressionar o Irã a abrir mão do que ele chama de "política genocida anti-Israel" como parte do acordo nuclear com Teerã.

Netanyahu alertou a comunidade internacional das intenções do Irã e endossou seu ceticismo em relação ao acordo preliminar assinado com o governo iraniano no último mês em Genebra, insistindo que qualquer contrato daqui em diante deve determinar o "o fim do programa nuclear militar do Irã".

"É um regime cujo comprometimento é com a nossa destruição e acredito que deve haver uma inequívoca e certeira campanha pressionando o Irã a mudar sua política genocida", disse Netanyahu para uma plateia composta, majoritariamente, por aliados israelenses.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]