Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Presidente do Instituto de Aviação Civil de Moçambique segura uma das peças encontradas | Adrien Barbier/AFP
Presidente do Instituto de Aviação Civil de Moçambique segura uma das peças encontradas| Foto: Adrien Barbier/AFP

A Austrália confirmou nesta quarta-feira (23) que os destroços encontrados na costa de Moçambique no início do mês são “muito provavelmente” do voo MH370 da Malaysia Airlines, que desapareceu em 8 de março de 2014 com 239 passageiros a bordo logo após decolar de Kuala Lumpur, na Malásia, com destino a Pequim.

Familiares homenageiam vítimas de voo da Germanwings

Leia a matéria completa

Uma equipe da Malásia descobriu que os pedaços são compatíveis com painéis de um Boeing 777, mesmo modelo da aeronave que desapareceu, de acordo com o ministro para Infraestrutura e Transporte australiano, Darren Chester. “A análise concluiu que os destroços são muito provavelmente do voo MH370”, disse ele. A Austrália coordena as investigações sobre o caso.

No início da semana, as peças chegaram ao país para serem examinadas por investigadores da Austrália e da Malásia e especialistas da Boeing e de universidades locais.

Os destroços foram encontrados na costa de Moçambique no início do mês por um aventureiro americano que realizava buscas independentes pela aeronave. Uma delas é um fragmento cinza com a inscrição “No Step” e a outra uma placa de metal de um metro.

Em julho do ano passado, um pedaço de asa foi encontrado na ilha francesa de Reunion, próximo à ilha de Madagascar, e mais tarde foi confirmado que a peça pertencia ao Boeing desaparecido.

A aeronave sumiu dos radares logo após decolar de Kuala Lumpur. Os investigadores acreditam que ela tenha voado por milhares de quilômetros até cair no oceano próximo à Austrália.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]