i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Estados Unidos

O que você precisa saber sobre o novo impeachment de Trump

  • PorRafael Salvi
  • 13/01/2021 15:30
O Capitólio dos EUA em 13 de janeiro de 2021 em Washington, DC.
O Capitólio dos EUA em 13 de janeiro de 2021 em Washington, DC.| Foto: Stefani Reynolds/Getty Images/AFP

A Câmara dos Representantes decidiu nesta quarta-feira (13) abrir novo processo de impeachment contra o presidente Donald Trump, mesmo faltando poucos dias para o encerramento de seu mandato.

A resolução de impeachment acusa Trump de "incitação à insurreição", por seu papel nos tumultos do Capitólio na semana passada.

Segundo os democratas e mesmo alguns deputados republicanos frases como “não vou conceder” e “lutar como o inferno” teriam encorajado a multidão a invadir o Capitólio dos EUA, resultando em cinco mortes.

Enquanto os três processos de impeachment anteriores – os dos presidentes Andrew Johnson, Bill Clinton e do próprio Trump – demoraram meses antes de uma votação final, incluindo investigações e audiências, desta vez levará cerca de uma semana. Democratas acreditam que a etapa de investigação pode ser abreviada porque deputados e senadores testemunharam pessoalmente a invasão do Capitólio.

Se os deputados decidirem pelo impeachment do presidente, o caso será enviado ao Senado para julgamento e a votação final para condenar ou absolver.

Por enquanto, o Senado liderado pelos republicanos não deve realizar uma sessão de impeachment antes de que o democrata Joe Biden tome posse como presidente em 20 de janeiro. Ainda assim, os democratas acham que uma ação da Câmara enviaria uma mensagem importante para o país.

Em seu primeiro comentário aos repórteres após os atos do Capitólio, Trump afirmou nesta terça-feira (13) que “continuar neste caminho, acho que está causando um tremendo perigo para nosso país, e está causando uma enorme raiva”, em referência aos movimentos para seu impeachment.

O presidente também enfrentou um “apagão digital” após o episódio no Capitólio. Empresas como Facebook, Twitter e YouTube suspenderam as contas de Trump, temporária ou permanentemente.

O que diz o artigo apresento pelos democratas

“O presidente Trump ameaçou gravemente a segurança dos Estados Unidos e de suas instituições governamentais”, diz o pedido de impeachment de apenas quatro páginas.

Além disso, o documento afirma que Trump “continuará sendo uma ameaça à segurança nacional, à democracia e à Constituição se for autorizado a permanecer no cargo”.

O texto teve co-autoria dos deputados democratas David Cicilline, Ted Lieu e Jamie Raskin, todos membros do Comitê Judiciário da Câmara e próximos da liderança democrata da Câmara.

O pedido também salienta os esforços do presidente de “subverter e obstruir” a certificação da eleição presidencial de 2020 e faz referência à ligação de Trump ao Secretário de Estado da Geórgia (estado tradicionalmente republicano, mas que votou democrata desta vez), Brad Raffenspenger para “encontrar” votos suficientes para reverter o resultado no estado.

Trump alegou desde o final da contagem dos votos que a eleição foi “fraudada” ou “manipulada”, entretanto não foi capaz de provar essa alegações diante das cortes estaduais e federais. O presidente esperava que as legislaturas estaduais ou os parlamentares invalidassem o resultado de estados contestados a fim de que Joe Biden não atingisse os 270 votos necessários para ser oficializado como novo presidente.

Quando os manifestantes invadiram o Capitólio, ambas as câmaras estavam debatendo as objeções do Partido Republicano para a contagem de votos eleitorais no Arizona.

Pouco antes dos distúrbios, Trump discursou com uma larga multidão de apoiadores perto da Casa Branca e os encorajou a “lutar como o inferno”, caso contrário “não iriam mais ter um país”. Essa frase também foi acrescentada ao pedido de impeachment apresentado no Congresso

Apoio dos republicanos

Ao contrário do primeiro processo impeachment contra Trump em 2019, pelo menos cinco deputados republicanos se manifestaram a favor da abertura do processo de impeachment.

A deputada republicana Liz Cheney de Wyoming disse que votaria pelo impeachment de Trump porque “nunca houve uma traição maior por parte de um presidente dos Estados Unidos de seu cargo e de seu juramento à Constituição.”

Cheney disse que Trump “convocou” a multidão que atacou o Capitólio na semana passada. Ele “reuniu a multidão e acendeu a chama deste ataque”, completou a deputada.

Além dela os deputados republicanos John Katko de Nova York, Adam Kinzinger de Illinois, Fred Upton de Michigan e Jaime Herrera Beutler de Washington afirmaram ser favoráveis ao impeachment.

Em 2019, não foi necessário o suporte dos republicanos para o processo de impeachment seguir adiante. Com a manifestação pública de alguns republicanos, o impeachment deve passar pela Câmara baixa com facilidade.

O que pode acontecer no Senado

As regras do Senado determinam que um julgamento de impeachment deve começar um dia após o Senado receber o pedido de impeachment da Câmara.

Ou seja, no dia seguinte àquele programado para o Senado voltar do recesso de fim de ano (19). Isso significa que o processo seria debatido no dia 20 de janeiro, dia da posse do presidente democrata Joe Biden.

O líder democrata do Senado, Charles Schumer, supostamente buscará o apoio do líder republicano do Senado, Mitch McConnell, para usar uma regra do Senado que permite que os líderes convoquem os senadores para uma sessão de emergência antes de 20 de janeiro.

O New York Times escreveu uma matéria na qual afirmava que McConnell seria favorável ao impeachment de Trump, mas isso foi confirmado pelo Senador.

Por enquanto, é improvável que um número suficiente de republicanos votem para condenar o presidente em fim de mandato, já que são necessários dois terços do Senado. Em números, 17 senadores republicanos deveriam “mudar de lado”.

Os democratas acreditam que, mesmo com a chance baixa de o impeachment passar no Senado, a tentativa continua válida. Para o senador democrata Bernie Sanders de Vermont é uma questão de “precedentes”. Nas palavras dele, “deve ficar claro que nenhum presidente, agora ou no futuro, pode liderar uma insurreição contra o governo dos Estados Unidos”.

Republicanos, por sua vez, afirmam que o processo de impeachment dividirá ainda mais o país.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • T

    TIAGO

    ± 2 horas

    Se o Trump tivesse incitado a tal insurreição, Nacy Pelosa já estaria empalada no topo do obelisco de Washington.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • T

      TIAGO

      ± 2 horas

      "Ainda assim, os democratas acham que uma ação da Câmara enviaria uma mensagem importante para o país." Querem criar narrativa.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      Fim dos comentários.