i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Demanda em queda

Opep+ confirma acordo para corte de oferta de 10 milhões de barris de petróleo por dia

  • PorEstadão Conteúdo
  • 10/04/2020 08:56
  • Atualizado em 10/04/2020 às 10:43
Planta de produção de petróleo da Aramco, na Arábia Saudita: guerra de preços afeta governo brasileiro.
Planta de produção de petróleo da Aramco, na Arábia Saudita.| Foto: Fayez Nureldine/AFP

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados que incluem a Rússia confirmaram, nesta sexta-feira (10), que chegaram a um acordo para reduzir sua produção coletiva em mais 10 milhões de barris por dia (bpd), após concluírem uma reunião virtual de mais de 11 horas.

Também nesta sexta-feira (10), o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse que seu país decidiu aderir ao pacto da Opep+ para reduzir a produção de petróleo. A participação mexicana era dúvida no início do dia, mas foi confirmada após conversa telefônica entre o presidente mexicano e Donald Trump.

Obrador, entretanto, ressaltou que os mexicanos contribuirão com um corte de apenas 100 mil barris por dia (bpd). Segundo ele, os EUA se comprometeram a fazer um corte adicional de 250 mil barris por dia, além do que já iriam implementar.

Por que o acordo foi firmado

O acordo, que vem num momento em que a pandemia do coronavírus tem prejudicado fortemente a demanda por petróleo, prevê que o corte fique em vigor por dois meses, a partir de 1° de maio, segundo comunicado divulgado pela Opep nas primeiras horas desta sexta.

A Opep+, como é conhecido o grupo formado pela Opep e aliados, decidiu, ainda, que o corte na produção diminuiria para 8 milhões de bpd ao longo do segundo semestre de 2020. A partir de janeiro de 2021, passaria a valer uma redução de 6 milhões de bpd na oferta, que ficaria em vigor até abril de 2022.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • A

    Antonio Cousseau

    ± 5 horas

    ESSA É A OPEP QUE SE PREOCUPA COM A CRISE MUNDIAL? SÓ PENSA NO SEU BOLSO AUMENTADO PARA ABOCANHAR MAIS?. QUERO SABER SE PREÇO SE MANTERÁ O MESMO?.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso