Igreja católica é atacada

Bagdá - A operação de resgate de 120 cristãos feitos reféns por extremistas ligados à Al-Qaeda em uma igreja católica em Bagdá deixou um saldo total de 58 mortos e 78 feridos – a maioria deles mulheres e cri­­anças. Autoridades suspeitam que a maior parte dos reféns foi morta depois que forças especiais iraquianas – com ajuda de militares dos Estados Unidos – decidiram invadir a igreja Nossa Se­­nhora da Salvação, onde estavam os reféns.

Leia matéria completa

Polícia grega descobre explosivo endereçado a Sarkozy

Paris - A polícia da Grécia desbaratou ontem em Atenas uma série de potenciais ações extremistas, dentre as quais uma contra o presidente da França, Nicolas Sarkozy. Por meio de serviços de correios expressos, os extremistas pretendiam enviar pacotes-bomba para o Palácio do Eliseu e para as embaixadas do México e da Holanda em Atenas.

Leia matéria completa

Londres - Governos, empresas aéreas e au­­toridades de aviação ao redor do mundo estão revendo suas regras de segurança após dois pacotes-bomba terem sido enviados de avião do Iêmen para os EUA. Os pacotes foram interceptados na última sexta-feira no Reino Unido e nos Emirados Árabes Unidos, e tinham como destino sinagogas em Chicago. Não se sabe ainda se a intenção era explodir os aviões antes de chegarem a seus destinos.

O governo britânico anunciou ontem a suspensão de voos de carga provenientes da Somália, por causa de "possíveis contatos entre a Al-Qaeda no Iêmen e grupos terroristas na Somália".

O Reino Unido também proibiu a importação de grandes cartuchos para impressoras na bagagem de mão por pelo menos um mês, além de seu envio por transporte de cargas de e para o país, a menos que se use um transportador credenciado pelo governo.

A Alemanha proibiu todos os voos de passageiros procedentes do Iêmen. E as autoridades do Iêmen decretaram ontema aplicação de medidas "excepcionais" de registro de todas as cargas que saem do país.

Os EUA enviaram uma equipe de investigadores ao Iêmen para ajudar nas buscas pelos suspeitos e para treinar os funcionários do aeroporto de Sanaa a inspecionar as cargas.

Uma unidade da Administra­­ção de Segurança dos Transportes dos EUA vai fornecer um novo equipamento de triagem por ví­­deo e ajudar com cargas partindo do Iêmen, disse o chefe do órgão, John Pistole.

Os EUA vão fornecer US$ 300 milhões em ajuda militar, humanitária e de desenvolvimento ao Iêmen neste ano, segundo o coordenador de combate ao terrorismo do Departamento de Estado, Da­­niel Benjamin. Cerca de metade dos recursos vão para equipamentos militares e treinamento.

Calcanhar de Aquiles

Os acontecimentos mostram brechas de segurança no transporte de cargas que podem pôr em risco a vida de passageiros. A Qatar Air­­ways confirmou que o pacote de Dubai foi transportado em um de seus voos de passageiros partindo da capital iemenita, Sanaa, com escala em Doha.

Regras de segurança mais rígidas para o transporte internacional de cargas aéreas poderiam prejudicar o comércio e a economia mundial.

"Transporte de carga aéreo ainda é considerado o calcanhar de Aquiles da indústria da aviação", disse o especialista Chris Yates à tevê BBC.

O plano de ataque pode levar a uma ampliação do uso de tecnologia de imagens para detectar ex­­plosivos, o que ainda não é padrão, mas as empresas de transporte de carga não querem assumir os custos sozinhas.

Um especialista em segurança israelense disse que seria "quase impossível" detectar as bombas en­­­­viados do Iêmen usando equipamentos de raio-x convencionais.

"A estrutura de uma impressora é tão densa que é muito difícil notar explosivos ou um detonador por meio de uma tela de vídeo", disse Yuval Amsterdam, da Tamar Explosive Simulants Technolo­­gies.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]