Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
O papa Francisco em audiência no Vaticano, em 15 de dezembro de 2021.
O papa Francisco em audiência no Vaticano, em 15 de dezembro de 2021.| Foto: EFE/EPA/Vatican Media handout

O papa Francisco pediu nesta sexta-feira que as notícias falsas, especialmente as relacionadas a vacinas, sejam combatidas, mas respeitando e "sem isolar" aqueles que se acreditam nelas, durante seu discurso ao consórcio internacional de mídia católica.

Francisco advertiu, como em seu recente documento para o Dia da Comunicação, que "além da pandemia, a infodemia se espalhou, ou seja, a distorção da realidade baseada no medo, que na sociedade global faz ecos e comentários sobre notícias falsificadas ou mesmo inventadas", disse.

Ele destacou que por vezes "a informação e a circulação das chamadas opiniões científicas podem gerar confusão", e, por isso, propôs "fazer aliança com a pesquisa científica sobre doenças" e explicou que "estar corretamente informado, ser ajudado a entender com base em dados científicos e não em fake news, é um direito humano".

Francisco também enfatizou que é preciso ser contra as "mentiras", mas "sempre a favor das pessoas" e que "embora seja necessário combater as fake news, as pessoas devem sempre ser respeitadas porque muitas vezes aderem inconscientemente a elas".

"Vamos tentar trabalhar pela informação correta e verdadeira sobre a covid-19 e sobre as vacinas, mas sem cavar valas, sem isolar, para que uma crise não se transforme em conflito", acrescentou.

Sobre a busca da verdade entre os comunicadores, o papa afirmou que "essa busca não pode ser levada a uma perspectiva comercial, aos interesses dos poderosos, aos grandes interesses econômicos"

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]