Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Usina nuclear em Loviisa, Finlândia: legenda alega ser o primeiro partido verde do mundo a abandonar o ativismo antinuclear e que esse tipo de energia será fundamental para combater as mudanças climáticas
Usina nuclear em Loviisa, Finlândia: legenda alega ser o primeiro partido verde do mundo a abandonar o ativismo antinuclear e que esse tipo de energia será fundamental para combater as mudanças climáticas| Foto: Wikimedia Commons

O Partido Verde da Finlândia decidiu, em votação realizada no congresso nacional da legenda no último fim de semana, apoiar a energia nuclear em nome do combate ao aquecimento global.

A legenda, que integra a coalizão que atualmente governa o país e tem 20 representantes no Parlamento finlandês, diz ser o primeiro partido verde do mundo a abandonar o ativismo antinuclear.

A defesa da energia nuclear será incluída no programa do partido. “A maioria das sugestões pró-energia nuclear à nova plataforma do partido foi aceita por ampla maioria, enquanto todas as sugestões antinucleares foram bloqueadas. Estou tão orgulhosa. Isso é histórico!”, escreveu Tea Törmänen, integrante do Partido Verde da Finlândia, no Twitter.

Um instituto de pesquisa ligado à legenda justificou em comunicado que mais de 80% do consumo global de energia ainda vem de combustíveis fósseis e que as mudanças climáticas só serão freadas com ajuda da energia nuclear, “que tem uma das menores pegadas de carbono entre todas as fontes de eletricidade por unidade de energia produzida”.

“Muitos daqueles que se opunham à energia nuclear originalmente formaram sua posição como uma reação contra a indiferença quanto aos riscos na União Soviética e, em particular, contra o subsequente acidente de Chernobyl. Isso é compreensível. No entanto, não houve acidentes em usinas construídas após 1980 e, estatisticamente falando, a energia nuclear é, na verdade, a forma mais segura de energia”, acrescentou o instituto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]