i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pleito

Premiê da Austrália vai convocar eleições, diz imprensa

Partido Trabalhista apresenta ligeira vantagem em duas pesquisas de intenção de voto

  • PorReuters
  • 12/07/2010 06:45

O Partido Trabalhista australiano apresenta ligeira vantagem em duas pesquisas de intenção de voto divulgadas na segunda-feira, o que reforça as especulações de que a primeira-ministra Julia Gillard poderá convocar eleições ainda nesta semana.

Nas pesquisas divulgadas pelos jornais Fairfax e News Ltd, os trabalhistas aparecem com 52% dos votos, contra 48 da oposição conservadora.

Gillard, 48 anos, é a primeira mulher a ocupar o posto de premiê da Austrália. Ela assumiu o cargo em 24 de junho, no lugar de Kevin Rudd, o que ajudou o Partido Trabalhista a recuperar seu prestígio junto ao eleitorado.

As especulações de que ela convocará uma eleição cresceram desde que o governador-geral Quentin Bryce adiou de sexta-feira para sábado uma viagem à Europa. Isso poderia ser um sinal de que Gillard, representante da rainha Elizabeth II no país, poderia pedir formalmente a Bryce para dissolver o Parlamento.

Questionada por jornalistas, Gillard não se manifestou, mas declarou num discurso que "nos próximos dias apresentaremos argumentos mais detalhados sobre alguns dos maiores desafios que a nossa nação enfrenta".

"Explicarei os passos que acho que precisamos tomar e pedirei a consideração das pessoas por esses passos. Pedirei a confiança do povo australiano para levar a Austrália adiante."

Analistas dizem que o discurso sinaliza a convocação de eleições na quinta ou sexta-feira desta semana, possivelmente para o final de agosto. Mas eles alertam também que não há certeza da vitória trabalhista.

"A chegada de Julia Gillard à liderança do Partido Trabalhista parece ter parado a decadência do partido", escreveu o editor nacional do jornal The Age, Tony Wright.

"Ela parou o apodrecimento de Rudd, embora não tenha conseguido fazer qualquer avanço sério contra a perda de (eleitores) frustrados do Partido Trabalhista para os Verdes", acrescentou.

Os trabalhistas chegaram ao governo em 2007, com promessas de combate ao aquecimento global. A falta de avanços nesse campo no mandato de Rudd levou alguns eleitores do Partido Verde a abandoná-lo. O trabalhismo precisa reconquistar esse contingente para bater a oposição do Partido Liberal-Nacional.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.