i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Impopular

Presidente francês busca formação de novo governo sem ministro das Finanças

Uma pesquisa divulgada no final de semana mostrou Hollande estacionado na taxa de 17% de aprovação, a mais baixa de um presidente francês desde a formação da chamada Quinta República em 1958

  • PorReuters
  • 25/08/2014 14:02

O presidente da França, François Hollande, deu início à formação de um novo gabinete nesta segunda-feira ao expulsar ministros de esquerda rebeldes que pediam uma mudança na política econômica centrada no rigor orçamentário.

O gesto surpreendente – que arrisca desencadear um confronto entre o novo governo e a extrema esquerda – acontece um dia depois de o ministro das Finanças, Arnaud Montebourg, atacar a Alemanha, locomotiva da zona do euro, por arruinar a economia da região com o que chamou de "obsessão" por políticas de austeridade fiscal.

Montebourg sequer esperou que o primeiro-ministro, Manuel Valls, anuncie um novo gabinete, o que deve fazer na terça-feira, para intensificar seus ataques e declarar que ele e dois outros ministros esquerdistas não buscarão cargos no governo.

"O mundo inteiro está nos implorando para pôr fim a estas políticas de austeridade absurdas, que estão mergulhando a zona do euro cada vez mais fundo na recessão e que logo irão terminar em uma deflação", declarou ele em uma coletiva de imprensa no Ministério das Finanças francês.

"Temos que ter a coragem intelectual e política para reconhecer que as políticas de austeridade estão piorando os déficits, ao invés de reduzi-los", disse Montebourg antes de deixar o ambiente ao som dos aplausos de sua equipe.

Será a segunda troca no governo do impopular Hollande e ocorre menos de cinco meses depois de uma primeira alteração com o objetivo de adotar uma linha mais favorável ao empreendedorismo. Os críticos pediram novas eleições, e o jornal Le Monde deu um editorial com o título "A última chance do presidente".

O destino de Montebourg foi selado no início da segunda-feira com uma nota sucinta do escritório de Hollande. Benoit Hamon e Aurélie Filipetti, titulares das pastas de Educação e Cultura, também deixarão o governo.

Hollande busca recuperar a segunda maior economia da zona do euro com cortes de impostos e frear lentamente o déficit público com uma redução de gastos.

Uma pesquisa divulgada no final de semana mostrou Hollande estacionado na taxa de 17% de aprovação, a mais baixa de um presidente francês desde a formação da chamada Quinta República em 1958.

Valls, popular nos tempos de ministro do Interior, também viu sua aprovação cair por sua incapacidade de lidar com o desemprego, que está acima dos 10%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.