Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Vladimir Putin discursa para 200 mil pessoas em Moscou
Vladimir Putin discursa para 200 mil pessoas em Moscou| Foto: Reprodução da Televisão russa

Duzentas mil pessoas estiveram no Estádio Olímpico Luzhniki, em Moscou, que já foi palco de final da Copa do Mundo, para ouvir o presidente Vladimir Putin nesta sexta-feira (18). Em um evento com música, dança e show de luzes, o líder russo fez um discurso sobre o que ele chama de “operação especial” na Ucrânia. Foi um verdadeiro espetáculo pró-Guerra, com o apoio de artistas russos, como Nikolai Rastorguev, Polina Gagarina e Dmitry Guberniev.

O público cantava “Por um mundo sem nazismo, pela Rússia”, indicando que a justificativa da guerra na Ucrânia é lutar contra o “genocídio” no território do Donbas, região de separatistas pró-Rússia. O curioso é que parece que a história se repete. E, ironicamente, a cena desta sexta-feira remete a um episódio do Nazismo.

As Reichsparteitag, reuniões ou comícios de Nuremberg, foram encontros anuais organizados pelo partido nazista, entre 1923 e 1938, na Alemanha. Com Adolf Hitler no poder desde 1933, as reuniões se transformaram, cada vez mais, em grandes espetáculos de propaganda gerados pelos nazistas. O filme 'Triunfo da Vontade', realizado pela cineasta Leni Riefenstahl, usou os comícios de 1934 como pano de fundo das filmagens, que se tornaram célebres por estabelecer uma estética nazista.

“Hitler convocara para Nuremberg um Reichsparteitag, dia do partido, e parece que quis com isso mostrar a seus parceiros conservadores a força e o impacto do movimento. Era a primeira manifestação em que se descartava dos congressos tradicionais do partido para anunciar já as manifestações maciças, de estilo militar, realizadas segundo regras teatrais e psicológicas. Se as cifras são exatas, mais de trinta trens especiais levaram de todos os recantos da Alemanha cerca de 200 mil partidários, cujos uniformes, bandeiras e músicas militares dominaram durante vários dias a visão da velha cidade imperial”. (Trecho do livro 'Hitler', de Joachim Fest, Editora Nova Fronteira.)

Não parece mera coincidência. Ao invés de trens, foram ônibus que levaram ao estádio a mesma quantidade de gente para a plateia de Putin. “Nos colocaram em um ônibus e nos trouxeram até aqui”, disse uma entrevistada da televisão russa no estádio, conforme publicou Max Seddon, chefe do escritório do Financial Times em Moscou, em sua conta no Twitter.

Com o estádio cheio, Putin enalteceu “o heroísmo dos soldados russos” ao som de canções populares nacionais e bandeiras nas cores branca, azul e vermelha. A propaganda de guerra dele é, inegavelmente, parecida com a de Joseph Goebbels, ministro de Hitler. O antigo evento nazista citado acima aconteceu  “com uniforme e equipamento de campanha”, “ao som de bandas militares”.

Putin justificou a invasão na Ucrânia, no dia 24 de fevereiro, como uma iniciativa que mira a “desnazificação”, a “desmilitarização” e o “fim do genocídio” na Ucrânia. Na prática, o exército russo mata centenas de civis em nome da proteção da pátria russa, enquanto o líder reforça a ideologia em um espetáculo propagandístico, como faziam os nazistas. O comício acontece dois dias depois do líder russo ameaçar a população pró-Ocidente do país, anunciando a necessidade de uma “autopurificação” da sociedade, lembrando os expurgos de Josef Stalin.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]