A emissora de rádio do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) informou neste domingo da recente decapitação do refém japonês Haruna Yukawa, que já foi anunciada por seu companheiro de cativeiro Kenji Goto em um vídeo divulgado por essa organização.

A rádio "Al Bayan", que funciona na internet, insistiu que Goto pediu pela libertação de uma prisioneira iraquiana detida na Jordânia em troca de sua libertação.

"O EI cumpre sua promessa e mata um dos reféns japoneses", destacou a emissora.

A rádio explicou que o grupo jihadista decapitou o refém japonês e que Goto pede a sua família que pressione seu governo para libertar Sajida Mubarak Atrous al-Rishawi, presa na Jordânia.

A mulher, de nacionalidade iraquiana, foi condenada à morte pela Justiça jordaniana após tentar realizar um ataque suicida contra um hotel em 2005 em Amã. A ação não foi realizada porque o cinco com explosivos falhou, porém três de seus cúmplices, incluindo seu marido, ativaram as cargas explosivas que levavam em hotéis da capital e mataram a 60 pessoas.

A rádio explicou que a execução aconteceu depois do fim do prazo oferecido ao Japão para pagar US$ 100 milhões pela libertação de cada um de seus dois cidadãos capturados.

Kenji Goto é um jornalista, de 47 anos e conhecido "freelance", que foi ao território sírio controlado pelo EI no início de outubro com a intenção de cobrir o conflito, da mesma forma que tinha feito anteriormente em outras regiões de guerra.

O perfil de Haruna Yukawa, de 42 anos, é muito mais confuso e leva meses dando lugar a diversas especulações da imprensa japonesa desde que fora sequestrado em meados de agosto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]