i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
crise migratória

Reino Unido vai fiscalizar empresas em busca de ilegais

Inspeções serão realizadas nos setores de construção, limpeza e atenção domiciliar

  • PorAgência O Globo e Reuters
  • londres e bruxelas
  • 10/08/2015 21:50

Em mais uma medida para apertar o cerco contra a imigração, o governo britânico anunciou ontem planos de reprimir empresas que contratam ilegais, com foco nos setores de construção, limpeza e atenção domiciliar. Uma série de inspeções começará em setembro.

O secretário de Estado de Imigração, James Brokenshire, prometeu usar toda a “força da máquina do governo para atingir os empregadores a partir de todos os ângulos” e “acabar com a vantagem injusta daqueles que oferecem emprego a imigrantes ilegais”.

Brokenshire criticou companhias que não checam se seus funcionários estão legalmente autorizados a viver no país. “Empregadores desonestos que dão empregos a imigrantes ilegais estão negando trabalho a cidadãos do Reino Unido e a imigrantes legais e ajudando a reduzir os salários”, disse. “A experiência nos diz que os empregadores que burlam regras de emprego também são suscetíveis a violar as regras de saúde e de segurança e a pagar imposto insuficiente”.

Na semana passada, Londres anunciou uma norma que obriga proprietários de imóveis a expulsarem de suas casas imigrantes ilegais, sem necessidade de autorização judicial e sob ameaça de sanções que incluem até cinco anos de prisão.

Com as novas medidas, o governo do conservador David Cameron tenta projetar uma imagem de firmeza diante das críticas recebidas pela gestão da crise migratória de Calais, na França. Todas as noites, centenas de imigrantes invadem o terminal francês do Eurotúnel em busca de chegar ao território britânico pelo Canal da Mancha.

No fim de semana, o ministro das Relações Exteriores, Philip Hammond, foi acusado de alarmismo depois de advertir que milhões de imigrantes africanos “saqueadores” representam uma ameaça à qualidade de vida e à estrutura social da União Europeia.

Ajuda financeira

A Comissão Europeia aprovou ontem 2,4 bilhões de euros em ajuda, ao longo de seis anos, para países como Grécia e Itália, que vêm recebendo um grande número de imigrantes do Oriente Médio e da África. Parte da ajuda será encaminhada para as autoridades francesas e britânicas que enfrentam a crise em Calais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.