i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
oriente médio

Rússia diz que Reino Unido é responsável por "falso ataque químico" na Síria

Porta-voz do Ministério da Defesa, o major-general Igor Konashenkov afirmou que as imagens de vítimas do suposto ataque eram falsas e haviam sido tramadas "com envolvimento direto britânico", sem dar provas disso

    • Moscou
    • Estadão Conteúdo
    • 13/04/2018 20:41
    Manifestantes carregam cartazes  contra o envolvimento do Reino Unido em qualquer escalada militar na Síria, em Downing Street, no centro de Londres, em 13 de abril de 2018. | BEN STANSALL/AFP
    Manifestantes carregam cartazes contra o envolvimento do Reino Unido em qualquer escalada militar na Síria, em Downing Street, no centro de Londres, em 13 de abril de 2018.| Foto: BEN STANSALL/AFP

    As Forças Armadas da Rússia afirmaram nesta sexta-feira que o Reino Unido tramou um falso ataque químico na cidade síria de Douma, no último fim de semana. A acusação foi negada por Londres, no momento em que Moscou adverte para que o Ocidente não ataque a Síria.

    Porta-voz do Ministério da Defesa, o major-general Igor Konashenkov afirmou que as imagens de vítimas do suposto ataque eram falsas e haviam sido tramadas "com envolvimento direto britânico", sem dar provas disso. Voluntários e ativistas afirmaram que o suposto ataque químico em 7 de abril do governo sírio matou mais de 40 pessoas na cidade de Douma.

    O episódio gerou condenação internacional e levou os Estados Unidos e seus aliados a considerar uma resposta militar. A Rússia, como o Irã, é uma aliada do regime sírio de Bashar al-Assad.

    Konashenkov divulgou declarações de médicos do hospital de Douma, segundo as quais um grupo de pessoas com câmeras entrou no hospital, gritando que os pacientes haviam sido atingidos por armas químicas. Os médicos, porém, disseram que nenhum paciente teve qualquer sintoma de envenenamento químico, segundo as notas.

    O porta-voz disse ainda que Londres pressionou representantes dos chamados Capacetes Brancos, voluntários em emergências, para fazer a "provocação premeditada". Disse ainda ter prova do envolvimento britânico, sem apresentá-la.

    Mais cedo, o ministro das Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov, disse que "agências de inteligência de um Estado que agora está em uma campanha russofóbica estavam envolvidas com a fabricação do episódio", sem citar qual país seria. No mês passado, o Reino Unido acusou a Rússia por um ataque com agente nervoso contra um ex-espião e sua filha, o que Moscou nega.

    O presidente da França, Emmanuel Macron, mostrou sua "profunda preocupação" com o quadro na Síria, em telefonema com o presidente russo, Vladimir Putin. O líder francês pediu mais diálogo para a paz e a estabilidade na Síria. Fonte: Associated Press.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.