O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, criticou o HSBC por apoiar a controversa lei de segurança imporsta por Pequim em Hong Kong
O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, criticou o HSBC por apoiar a controversa lei de segurança imporsta por Pequim em Hong Kong| Foto: MANDEL NGAN / AFP

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, escreveu em comunicado que os Estados Unidos estão ao lado de seus aliados e parceiros "contra as táticas coercitivas de intimidação do Partido Comunista Chinês". No documento, Pompeo afirma que Pequim ameaçou punir o banco britânico HSBC e quebrar o compromisso de construir usinas nucleares no Reino Unido, "a menos que Londres permitisse que a Huawei construísse sua rede 5G".

"A Huawei, com sede em Shenzhen, é uma extensão do estado de vigilância do Partido Comunista Chinês", diz Pompeo. Segundo o secretário, a pressão do país asiático sobre o HSBC deve servir como "advertência". "Na semana passada, o CEO do banco na Ásia-Pacífico, Peter Wong, membro da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, assinou uma petição apoiando a decisão desastrosa de Pequim de destruir a autonomia de Hong Kong", ressalta Pompeo, em referência a nova lei de segurança nacional que a China decidiu impor no território autônomo.

Para Pompeo, o "comportamento agressivo" do governo chinês "mostra por que os países devem evitar a dependência econômica da China". O secretário afirmou, ainda, que os EUA estão prontos para ajudar o Reino Unido "com qualquer necessidade que eles tenham, desde a construção de usinas nucleares seguras e confiáveis até o desenvolvimento de soluções 5G confiáveis que protejam a privacidade de seus cidadãos".

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]