Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Equipamento foi recuperado com muitos danos | BEA / Divulgação/EFE
Equipamento foi recuperado com muitos danos| Foto: BEA / Divulgação/EFE

A agência de investigação aérea da França informou nesta sexta-feira (3) que os dados da segunda caixa-preta do Airbus A320 da Germanwings que caiu nos Alpes em 24 de março confirmam a ação deliberada do copiloto Andreas Lubitz, 27.

Copiloto pesquisou formas de suicídio antes de acidente

Andreas Lubitz, suspeito de ter causado a tragédia que deixou 150 mortos, também buscou informações sobre a porta da cabine do Airbus 320

Leia a matéria completa

A Promotoria afirma que Lubitz derrubou de propósito a aeronave, que seguia de Barcelona para Düsseldorf com 150 pessoas a bordo. Todos os passageiros e tripulantes morreram na queda.

Segundo o Escritório de Investigações e Análises pela Segurança da Aviação Civil (BEA, sigla em francês), a primeira análise da caixa-preta de dados mostra que o copiloto usou o piloto automático para baixar o avião de 38 mil pés para 100 pés.

Enquanto o avião perdia altitude, Lubitz ajustou diversas vezes o aparelho para aumentar a velocidade da aeronave. Os dados da caixa-preta encontrada na quinta (2) confirmam as informações obtidas nas gravações de voz do Airbus A320.

A partir do áudio, revelado na semana passada, os investigadores determinaram que o piloto trancou a porta da cabine assim que o piloto titular foi ao banheiro. Em seguida, iniciou a operação de descida que levou à tragédia.

A agência francesa informou que os técnicos continuarão a fazer análises dos dados do avião para incluí-los no inquérito sobre a queda, que também usará informações da primeira caixa-preta encontrada e de informações recolhidas no local da queda.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]