Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Um iraniano que explodiu as próprias pernas foi condenado à prisão perpétua por um tribunal da Tailândia, nesta quinta-feira (22), por seu envolvimento em um atentado frustrado que abalou Bangcoc no ano passado e trouxe a condenação de Israel.

O tribunal considerou que Saeid Moradi, de 29 anos, culpado de tentativa de homicídio em um ataque que as autoridades afirmam que tinha como alvo diplomatas israelenses. Um segundo réu, Mohammad Khazaei, de 43 anos, foi condenado a 15 anos de prisão por posse de dispositivos explosivos.

Cinco pessoas ficaram feridas em uma série de explosões em Bangcoc, em 14 de fevereiro de 2012. Os feridos incluem Moraid, que teve as duas pernas arrancadas quando uma bomba que carregava explodiu enquanto ele tentava jogá-la contra a polícia tailandesa.

As explosões foram ligadas a um ataque com carro-bomba contra a mulher de um diplomata israelense na Índia e um terceiro atentado frustrado na Geórgia no dia anterior.

Israel acusou o inimigo Irã de orquestrar os ataques, mas Teerã negou as acusações. A decisão do tribunal foi bem recebida por um diplomata israelense na Tailândia, que também condenou os atentados.

Khazaei foi preso no aeroporto internacional de Bangcoc ao tentar pegar um voo para a Malásia. Moradi foi preso no local do atentado.

Um terceiro suspeito, Masoud Sedaghat Zadeh, de 31 anos, foi detido na Malásia depois de fugir da Tailândia logo após as explosões. Um porta-voz da Polícia Real tailandesa disse que a Malásia aprovou a extradição de Zadeh para a Tailândia, mas o suspeito ainda não tinha sido trazido de volta ao país para ouvir as acusações contra ele.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]