i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Alternativa

Turismo médico faz da Polônia uma referência

País atrai 500 mil pacientes por ano com preços baixos, para o padrão europeu, em tratamentos dentários, cirurgias estéticas e cardíacas

  • 27/07/2013 21:28
Meninas brincam numa fonte no centro de Varsóvia, na Polônia | Kacper Pempel/Reuters
Meninas brincam numa fonte no centro de Varsóvia, na Polônia| Foto: Kacper Pempel/Reuters

Tratamentos são até 80% mais baratos

A Polônia é tão barata assim para compensar as despesas com transporte e alojamento, além do tratamento? Sim, segundo a informação oferecida pelo Ministério da Economia polonês, muitos tratamentos são até 80% mais baratos que em outras partes do mundo.

O implante dentário, por exemplo, custa, segundo o Ministério, uma média de 608 euros na Polônia, enquanto nos Estados Unidos e no Reino Unido esse valor pode superar os 3 mil euros.

Algo similar ocorre com uma operação complexa como a de ponte de safena, que em um hospital polonês particular sai por 7,6 mil euros diante dos mais de 34 mil euros dos Estados Unidos, 17 mil euros do Reino Unido e os mais de 9,3 mil euros da Turquia.

"Temos um país seguro, moderno e com bons médicos", resumiu Ada Kostrz, responsável pela campanha governamental para fazer da Polônia um "destino de saúde".

As autoridades polonesas e várias empresas médicas locais se esforçaram para mostrar essa imagem nas últimas feiras realizadas em Miami, Moscou e Mônaco, onde a Polônia se apresentou como um destino para o turismo médico.

Os principais concorrentes da Polônia são países como Turquia, Tailândia e Índia.

Uma mesa de cirurgia ou uma consulta no dentista não é o destino sonhado de férias para muitos, mas, mesmo assim, as autoridades polonesas decidiram apostar nesse mercado e transformar a Polônia em uma referência para o lucrativo turismo de saúde de russos, alemães, americanos e escandinavos.

Em 2012, chegaram à Polônia 500 mil pessoas para serem submetidas a um tratamento, de acordo com Ada Kostrz, a responsável da campanha governamental promovida pelo país como destino de saúde.

Segundo seus dados, o número de turistas que buscam tratamento médico na Polônia aumentou entre 12% e 15% anuais durante os últimos anos.

Um negócio lucrativo para os cerca de 40 centros de saúde e hospitais que participam da campanha "Polônia, o destino da sua saúde" e que também é financiada com fundos da União Europeia. Entretanto, Ada se recusou a revelar o impacto econômico desses visitantes na economia nacional.

"São turistas particulares, o que é difícil de determinar, mas é preciso levar em conta que, além do tratamento médico, essas pessoas também viajam, fazem compras e utilizam a hotelaria local", disse.

Os "turistas de saúde" buscam na Polônia, principalmente, tratamentos de medicina estética, ortopédica, reabilitações, sanatórios para problemas respiratórios e uma visita ao dentista, destaque do turismo médico não só na Polônia, mas em outros países da região como Hungria e Letônia.

Os russos, sobretudo, vêm buscando lugares nos sanatórios poloneses para problemas alérgicos e respiratórios; os britânicos fazem tratamentos dentais complexos, assim como os alemães, que também procuram os centros de spa e beleza próximos da Alemanha; e os italianos se derretem pelas operações plásticas e pelas cirurgias estéticas.

"Nós atendemos muitos estrangeiros, sobretudo britânicos, alemães e escandinavos que sabem que na Polônia oferecemos um bom nível por um preço muito menor que em seus próprios países", disse a dentista Marzena Grabos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.