i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artigo

As prefeituras do Paraná podem evitar o colapso hospitalar

  • PorMiguel Lago, Arthur Aguillar e Helyn Thami
  • 27/03/2020 16:15
Leito em hospital (imagem ilustrativa).
Leito em hospital (imagem ilustrativa).| Foto: Pixabay

Na Itália, médicos estão tendo de escolher entre quem usa respirador e quem morre. A superlotação de hospitais é a face mais trágica do coronavírus nos países europeus, cujos sistemas de saúde são mais robustos que o nosso. O Brasil não dispõe de equipamentos de saúde suficientes para atender as demandas de saúde já existentes. De acordo com estudo do Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (Ieps), a média de leitos de UTI é de 7,1 por 100 mil habitantes, quantidade considerada aquém do mínimo necessário. Como será, então, com o coronavírus?

A estrutura de saúde pública do estado do Paraná não é diferente do restante do país. Somente metade das regiões de saúde do estado cumpre com o requisito mínimo de 10 leitos de UTI por 100 mil habitantes. O Paraná tem hoje cerca de 100 casos confirmados. Diversas medidas têm sido tomadas, como a limitação do transporte estadual e o fechamento de serviços de comércio e indústria não essenciais. No dia 23, o governo do estado declarou estado de calamidade pública.

Para evitar a superlotação de hospitais no estado, será necessário complementar os esforços de distanciamento social com a organização do fluxo de atendimento. Para tanto é fundamental ter uma atenção básica resolutiva. Cabe aos municípios coordená-la.

Dada a heterogeneidade dos municípios no país, três organizações da sociedade civil sem fins lucrativos – o Ieps, o Instituto Arapyaú e o Impulso – elaboraram uma check list de enfrentamento à Covid-19 direcionada aos municípios, prevendo ações de rápida implementação em quatro dimensões essenciais. O manual indica como as prefeituras podem orientar suas ações a partir dos dados e evidências existentes; adaptar a organização dos serviços de saúde; fortalecer a prevenção através da comunicação com a população; e, por fim, reformular estratégias de gestão instaurando uma cadeia de comando e controle eficiente durante o período de crise.

A melhor maneira de os municípios ajudarem o governo do estado paranaense é cumprir com um plano de ação claro e comum, que garanta uma atenção básica verdadeiramente resolutiva, assegurando que apenas os casos graves serão encaminhados para o hospital. Evitar o colapso hospitalar é também função dos prefeitos.

Miguel Lago é diretor-executivo do Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (Ieps). Arthur Aguillar e Helyn Thami são pesquisadores de políticas públicas do Ieps.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • A

    ADERVAL C FORSTER

    ± 0 minutos

    Não falam mas o Paraná tem menos de 1000 leitos para UTI, então continuem a segurar o povo em casa que a catástrofe será de FOME, seus políticos fajutos, de guerra civil, de invasões, de SAQUES, e muitas mortes. Em frente, cambada de comunistas de araque!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]