Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
| Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Vocês também, como eu, estão cansados do mimimi das redes sociais? Isso só vai acabar quando sairmos da nossa zona de conforto. Eu quero convidar você a tirar o seu sapato. Estamos ficando cada vez mais acostumados a ficar de mimimi nas redes sociais em vez de sair da nossa zona de conforto.

Hoje, o Brasil está fora da zona de conforto. É isso que crise significa. Muitos dizem que as soluções são empreendedorismo e educação. Eu quero citar aqui quatro empreendedores que eu admiro: Samuel Klein, Muhammad Yunus, Silvio Santos e Jailma. Você já ouviu falar neles?

Eu tenho certeza de que você conhece os três primeiros. Então, vamos falar deles. O que eles têm em comum, além de terem apostado na base da pirâmide? Educaram seus filhos. Os bancos têm produtos financeiros para eles. E Jailma? Por que vocês não a conhecem? Porque ela é uma microempreendedora. Ela é invisível, mas sonha em colocar seu filho em uma escola particular. Como ela, existem 35 milhões no Brasil.

Quero poder escolher o público que meu investimento vai apoiar

Eu gostaria que você calçasse um sapato que fosse três vezes menor que o seu número ideal. Você, que calça 37, agora está usando um sapato 34. Que tal? Cabe? É confortável? Como você está se sentindo? É assim que o microempreendedor se sentiu a vida inteira. É este problema que me faz acordar todos os dias. É uma oportunidade enorme. São 35 milhões de microempreendedores no Brasil. Conceder microcrédito faz tanta diferença na vida deles que eu acredito que o Brasil inteiro muda se conseguirmos apoiá-los.

No país, 99% dos empréstimos vão para as grandes, médias e pequenas empresas. Apenas 1% vai para os microempreendedores. Podemos mudar o Brasil por meio do microcrédito. O maior sonho do brasileiro é empreender. Quando compramos um título de um banco, entretanto, contribuímos para a estatística acima.

Será que já está na hora de termos poder de escolha para o destino do nosso dinheiro? Eu quero poder continuar comprando um CDB de um banco, mas quero poder escolher o público que meu investimento vai apoiar. Minha escolha vai para o guerreiro sem arma chamado microempreendedor, que tem como missão levar educação para sua próxima geração. Qual é a sua escolha?

Bernardo Bonjean é presidente da startup Avante e especialista do Instituto Millenium.
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]