i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artigo

Future-se: um novo e necessário modelo para as universidades públicas

  • PorMarcos de Lacerda Pessoa
  • 13/08/2019 18:00
Future-se: um novo e necessário modelo para as universidades públicas
| Foto: Marcos Tavares/Thapcom

As interações universidade-indústria-governo, que formam uma “hélice tríplice” de inovação e empreendedorismo, são há bastante tempo utilizadas nos Estados Unidos, na Inglaterra e em outros países da Europa, onde se constituem como chave para o crescimento econômico e o desenvolvimento social baseados no conhecimento. Mas sabe-se que algumas de nossas universidades públicas têm grande dificuldade com respeito à sua aproximação com o setor produtivo e com os governos, pois receiam com isso perder a chamada “autonomia universitária”.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro criou o Future-se: Programa Institutos e Universidades Empreendedoras e Inovadoras. Quem lê o texto do Future-se o percebe como um programa inovador, em sintonia com o que há de mais atual em governança, tendo por propósito modernizar a gestão e solucionar a crise orçamentária das universidades federais do país.

O Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies), todavia, critica o programa, questionando o porquê de não ter sido consultado. Acontece que o projeto foi enviado a consulta pública até o dia 7 de agosto, e as propostas recebidas serão analisadas e reunidas até o dia 21 deste mês; só então o texto final será enviado ao Congresso.

É necessário que tenhamos no Brasil novos modelos para a gestão de nossas universidades públicas

Segundo o Ministério da Educação (MEC), o Future-se trabalhará com a criação de fundos de investimentos no valor de aproximadamente R$ 100 bilhões, a serem constituídos com recursos obtidos pela alienação de imóveis da União e por meio de contratos de gestão com organizações sociais – que terão o direito também de atuar na administração de recursos e patrimônio das instituições. Além disso, haverá encorajamento à busca por recursos privados. Em troca destes investimentos, o programa possibilitará a utilização econômica do espaço público e a permissão de renomear campi e edifícios das instituições de ensino em homenagem aos investidores – exatamente como é feito em países desenvolvidos.

Enquanto os países do dito primeiro mundo associam-se e recebem uma grande quantidade de recursos adicionais do setor privado, a coordenadora da Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Federais, deputada Margarida Salomão (PT-MG), diz que “a tradição de formação de decisões em uma comunidade com as características da sociedade universitária repele a razão empresarial”. Isso mostra como estamos vivendo um período de insana instabilidade, em que qualquer boa iniciativa proposta pelo governo federal passa a ser severamente criticada pelas universidades públicas e pela grande mídia, que parecem não desejar propostas concretas, embora clamem pelo estabelecimento de diálogo, debates e discussões infindáveis.

Segundo publicação do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) de 2018, a liderança no ranking brasileiro de patentes geradas por instituições de pesquisa e ensino superior ficou com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com 77 depósitos. No mesmo período, segundo a National Academy of Inventors (NAI) e a Intellectual Property Owners Association (IPO), a Universidade da Califórnia obteve 526 patentes; o Massachusetts Institute of Technology (MIT), 304; a Universidade de Stanford, 226; o Harvard College, 137; e a Universidade Johns Hopkins, 132. Todas essas instituições americanas associam-se a governos e ao setor privado. É, portanto, necessário que tenhamos no Brasil novos modelos para a gestão de nossas universidades públicas, a fim de que seus resultados sejam cada vez mais voltados ao bem da população.

Como já tive a ocasião de escrever, aqui na Gazeta do Povo, “o aumento da consciência sobre a necessidade de transferir à sociedade os resultados da pesquisa e desenvolvimento financiados com recursos públicos ainda não tem sido acompanhado de ações concretas. Faltam medidas para viabilizar essa transferência de conhecimento, o que levaria à absorção, pelos demais atores, do que é gerado na universidade. Tal cenário agrava-se pela carência de canais, institucionais ou não, de intercâmbio entre esses agentes, o que acaba acentuando a desvinculação entre a oferta e a demanda, acarretando desperdício de conhecimentos e tecnologias com possível interesse público, social ou econômico”.

O Future-se deve ser analisado com a devida isenção política e sem exaltação de ânimos. Entre outros benefícios, esse programa é um excelente mecanismo para promoção da hélice tríplice.

Marcos de Lacerda Pessoa, engenheiro, Ph.D. pela Universidade de Birmingham (Inglaterra) e pós-doutor em Engenharia pelo MIT, é autor de Sementeira de Inovação, organizador e editor de Pinceladas de Inovação e proprietário do centro de apoio à inovação futuri9.com.

Nota da redação: na edição impressa de 10 de agosto de 2019, a frase "a tradição de formação de decisões em uma comunidade com as características da sociedade universitária repele a razão empresarial" apareceu atribuída ao Confies.

3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 3 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • D

    DIMITRI LEONARDO SANTANA MARTINS DE OLIVEIRA

    ± 0 minutos

    Não há nenhum impedimento entre ser um empreendedor e ser um filósofo, ao mesmo tempo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    DIMITRI LEONARDO SANTANA MARTINS DE OLIVEIRA

    ± 1 minutos

    A função da filosofia nunca foi gerar empregos. Gerar empregos é próprio da atividade empreendedora. A finalidade da filosofia é o alcance da verdade, e o exercício do filosofar é a busca desse alcance.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • K

    Klin

    ± 22 horas

    A verdade tem que ser dita : filosofar não cria empregos. As universidades tem que sair da zona de conforto, sair do marasmo que as cercam há muitos anos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]