Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
CORRECTION – This August 21, 2019, satellite image obtained courtesy of the National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) shows the smoke of several fires in the Brazilian states of Amazonas of Mato Grosso (bottom R) and Rondonia (bottom C). – Wildfires in the Amazon rainforest in northern Brazil have ignited a firestorm on social media, with President Jair Bolsonaro on Wednesday suggesting green groups started the blazes. (Photo by HO / NOAA / AFP) / RESTRICTED TO EDITORIAL USE – MANDATORY CREDIT “AFP PHOTO / NOAA” – NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS – DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS — / �The erroneous mention[s] appearing in the metadata of this photo by HO has been modified in AFP systems in the following manner: [of Mato Grosso and Rondonia] instead of [Para, Mato Grosso and Rondonia]. Please immediately remove the erroneous mention[s] from all your online services and delete it (them) from your servers. If you have been authorized by AFP to distribute it (them) to third parties, please ensure that the same actions are carried out by them. Failure to promptly comply with these instructions will entail liability on your part for any continued or post notification usage. Therefore we thank you very much for all your attention and prompt action. We are sorry for the inconvenience this notification may cause and remain at your disposal for any further information you may require.�
CORRECTION – This August 21, 2019, satellite image obtained courtesy of the National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) shows the smoke of several fires in the Brazilian states of Amazonas of Mato Grosso (bottom R) and Rondonia (bottom C). – Wildfires in the Amazon rainforest in northern Brazil have ignited a firestorm on social media, with President Jair Bolsonaro on Wednesday suggesting green groups started the blazes. (Photo by HO / NOAA / AFP) / RESTRICTED TO EDITORIAL USE – MANDATORY CREDIT “AFP PHOTO / NOAA” – NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS – DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS — / �The erroneous mention[s] appearing in the metadata of this photo by HO has been modified in AFP systems in the following manner: [of Mato Grosso and Rondonia] instead of [Para, Mato Grosso and Rondonia]. Please immediately remove the erroneous mention[s] from all your online services and delete it (them) from your servers. If you have been authorized by AFP to distribute it (them) to third parties, please ensure that the same actions are carried out by them. Failure to promptly comply with these instructions will entail liability on your part for any continued or post notification usage. Therefore we thank you very much for all your attention and prompt action. We are sorry for the inconvenience this notification may cause and remain at your disposal for any further information you may require.�| Foto: HO/AFP or licensors

Em 2022, o brasileiro terá decisões históricas a tomar. A mais importante delas é assumir uma postura responsável diante das eleições para presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e estaduais. Cada voto será estratégico para definir os rumos do país neste momento tão crítico. A busca pela sustentabilidade deve abraçar não só o desafio das mudanças climáticas, causadas pelo aquecimento global, mas também a redução da desigualdade, a sina que envergonha o país.

Para tentar desacelerar o aquecimento, o próximo mandatário brasileiro deverá ter a coragem, com apoio do Congresso Nacional, de zerar o desmatamento na Amazônia e dar os rumos da transição para uma economia verde. Para que isso ocorra, o brasileiro precisa eleger um presidente que demonstre ser capaz de cumprir compromissos reais com o meio ambiente. Governos são fundamentais para agir contra o aquecimento global e é por isso que votar de forma consciente torna-se, a cada ano que passa, uma atitude mais decisiva para a vida na Terra.

Os políticos são fundamentais, mas não são os únicos responsáveis por salvar o planeta. Além do voto na urna, há diversas outras decisões individuais e coletivas que temos de adotar para tornar 2022 um ano mais verde. Há muitas práticas e comportamentos que ajudam a reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Antes de tudo, é preciso dizer que a maioria das emissões está relacionada ao consumo, especialmente nos níveis de renda mais altos. Portanto, a regra geral é evitar o consumismo. A todo momento, somos bombardeados por propagandas de roupas, produtos descartáveis, acessórios, embalagens excessivas. No fundo, temos consciência de que grande parte disso é desnecessária. Por isso, dê preferência a empresas e lojas certificadas ou que apoiem abertamente o combate ao aquecimento global, adotando práticas sustentáveis e outras posturas verdes.

Os políticos são fundamentais, mas não são os únicos responsáveis por salvar o planeta. Além do voto na urna, há diversas outras decisões individuais e coletivas que temos de adotar para tornar 2022 um ano mais verde.

O consumo de carne bovina também precisa ser reavaliado em 2022. Essa é uma das ações mais efetivas contra o aquecimento global. As emissões de carne bovina são cinco vezes maiores que as equivalentes da carne de frango, por exemplo. Se tirar o boi do prato é difícil, diminuir seu consumo é bem possível. Podemos definir “segundas-feiras sem carne” e levá-las a sério – acredite, já será uma importante contribuição.

Em casa, são inúmeras as ações que ajudam a preservar o meio ambiente, como reciclar o lixo, separando materiais reaproveitáveis (alumínio, papel, plásticos); usar aparelhos mais eficientes (com selo de eficiência energética); tirar equipamentos da tomada quando não estão em uso; utilizar o ar-condicionado com moderação; reduzir a duração do banho quente; e dar preferência às escadas sempre que possível. Sua saúde e seu bolso também agradecem.

Ao sair de casa, a decisão mais importante é evitar ao máximo o transporte individual, especialmente os carros a gasolina. O transporte coletivo é muito menos poluidor, pois dividimos as emissões de gases de efeito estufa com outros passageiros. Andar a pé ou ir de bicicleta são as melhores opções. Se tiver de usar o carro, abasteça-o com etanol. Carros híbridos ou elétricos emitem muito menos, e definitivamente é preciso escolher carros menores e eficientes.

Em relação ao mundo do trabalho, o ideal é trabalhar de casa, sempre que possível. A pandemia nos trouxe uma lição: a de que podemos substituir viagens de negócios por reuniões virtuais. Os aviões consomem enormes quantidades de querosene, e as emissões são gigantescas. Caso não seja possível se reunir de modo virtual, tenha em mente que os voos sem escalas emitem menos.

Um novo ano se aproxima e traz a possibilidade de uma vida mais sustentável. Todos temos de mudar de atitude e rever hábitos. O planeta está com febre e precisa do esforço de todos os governos e nós, cidadãos, para evitar danos irreversíveis. Dê o primeiro passo e comece. Escolher governos sérios e comprometidos com o planeta é uma escolha em nossas mãos.

Sérgio Margulis é autor de “Mudanças no clima, tudo o que você queria e não queria saber”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]