i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Bom dia

Governo anuncia acordo, país amanhece na expectativa

E mais: o que tudo isso nos ensina sobre a democracia, planos para a educação e as cem melhores empresas para trabalhar na América Latina

  • PorRenan Barbosa
  • 27/05/2018 22:32
 |
| Foto:

Bom dia!

Milhões de brasileiros sem combustível, transporte público ameaçado, centenas de milhares de crianças sem aula, 64 milhões de aves sacrificadas e R$ 3 bilhões de prejuízo só nesse setor. O Brasil amanhece nesta segunda-feira (28) mergulhado na incerteza. As forças federais de segurança tentam garantir o abastecimento mínimo de serviços essenciais desde a sexta-feira (25) à noite, mas o governo e caminhoneiros seguem incapazes de resolver o impasse que já paralisa o país há uma semana. Aqui e ali, começam a aparecer manifestações populares contrárias ao governo.

No fim da noite de ontem, porém, o presidente Michel Temer anunciou novas medidas para atender os pleitos da categoria. O governo diz ter certeza de que a greve acaba hoje, mas houve “panelaço” em várias capitais enquanto Temer falava.

Gazeta do Povo comenta, em Editorial, os riscos trazidos pelo movimento paredista:

O que realmente nos preocupa, e com o que não podemos concordar, é que a atuação de um movimento coloque o país à beira de um caos econômico e, eventualmente, social e político. Imaginem, ainda mais agora que o governo demonstrou estar fragilizado, se cada categoria profissional ou produtiva resolver paralisar suas atividades por completo até ter todas as suas demandas atendidas [...] Todas essas reivindicações são legítimas, mas rapidamente se vê que uma situação assim não seria razoável.

Obedece quem tem juízo. O governo garante que o acordo para a liberação de cargas essenciais está sendo cumprido, e o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a cobrança de pesadas multas para quem obstruir rodovias, mas a Polícia Rodoviária Federal (PRF) não tinha aplicado nenhuma até a noite de ontem (27). Os caminhoneiros têm desobstruído as vias, mas não voltam a rodar.

Um pouco de contexto. Fernando Jasper foi fazer as contas do preço do combustível desde 2001 e descobriu: já esteve mais alto do que está hoje, considerando os valores corrigidos pela inflação. Já Flávia Pierry explica por que os estados relutam tanto em mexer no ICMS, que tem o maior peso na tributação dos combustíveis, enquanto Débora Álvares analisa as trapalhadas do Congresso na condução da crise. Quem não se lembra do papelão de Rodrigo Maia (DEM-RJ)? 

O Editorial de sexta-feira (25) da Gazeta do Povo comenta as oportunidades perdidas pela classe política e os maus exemplos desses dias de paralisação:

Perdemos pela tentação da irresponsabilidade fiscal, pela impressão de que quem grita mais alto obtém benefícios às custas do restante da população – no longo prazo, as distorções do mercado aumentam o preço para todo mundo –, e pelo afastamento de uma opção de desenvolvimento para o país com mais liberdade econômica. Também sai perdendo nossa capacidade de planejamento: afinal, ninguém explica como as decisões aventadas agora lidam com os problemas que subjazem a toda a confusão. 

Vem mais por aí. Os petroleiros devem fazer hoje um “esquenta” para a greve de 72h que querem deflagrar a partir de quarta-feira (30). O governo estuda barrar o movimento na Justiça.

Clima jacobino. Com cautela, o blogueiro Rodrigo Constantino questiona o clima de conflagração política que vive o país:

Entendo o desespero, mas ele não é garantia de boas decisões. Ao contrário: pessoas desesperadas, sem nada a perder, podem muito bem jogar a toalha e partir para o tudo ou nada, brincando de roleta russa. Que façam isso isoladamente, vá lá, mas que façam com toda uma nação, não posso aceitar – muito menos aplaudir e incentivar.

A Gazeta do Povo também expressou, em Editorial extraordinário na sexta-feira, preocupações com o caráter autoritário da movimentação:

Há direitos a serem protegidos, procedimentos formais a serem seguidos, instituições a serem respeitadas. Em uma democracia sadia, ninguém pode arvorar-se dono da sociedade civil e tentar impor seu projeto pessoal de sociedade. Isso não significa que as pessoas devam abrir mãos de suas convicções ou de buscar soluções para seus problemas. Ao contrário, uma democracia é tanto mais vibrante quanto mais as pessoas levam a sério o valor umas das outras e se engajam no diálogo e no convencimento livre. Do contrário, a coisa pública é apropriada por interesses privados e momentâneos – mesmo que sejam da maioria – em detrimento do bem comum, e força prevalece sobre o direito.

Você viu?

A greve monopolizou a semana, mas a equipe de República reuniu cinco outras notícias para você ficar bem informado.

Melhorar a educação

O Movimento Todos Pela Educação elaborou um plano estratégico dividido em sete áreas consideradas fundamentais para apresentar aos candidatos que disputarão as próximas eleições. Saiba quais são elas.

E João Rodrigo Maroni foi atrás de saber os motivos que fazem dos colégios militares ilhas de excelência em meio à decadência da educação pública brasileira.

Agora é que são elas

A Bolsa de Valores de Nova York passou a ter sua primeira presidente mulher em toda a história. Há trinta anos, nem banheiro feminino havia na instituição.

Exemplo

Está procurando emprego ou recolocação profissional? Saiu o ranking das 100 melhores empresas para trabalhar na América Latina. Três delas são paranaenses.

Vai-não-vai

Depois do cancelamento do encontro que deveria haver entre os presidentes dos Estados Unidos e o ditador da Coreia do Norte, este anunciou que estava pronto para resolver o impasse. Trump, quem primeiro havia cancelado, disse que mantém as esperanças de que a reunião ocorra no próximo dia 12.

No Irã

Está achando que é só no Brasil? Pois o Irã também está passando por uma greve de caminhoneiros

No Paraná

Desmatamento. Katia Brembatti explica por que, ano após ano, o estado lidera os indicadores de derrubada de floresta nativa.

Falando nisso. Servidores do Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizaram uma paralisação contra a indicação do novo presidente do órgão pelo presidente Michel Temer.

Negociação. O governo do estado anunciou redução na base de cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço (ICMS) sobre o diesel. Sabia qual será o impacto na bomba.

Em Curitiba

Ônibus. O transporte público funciona normalmente na cidade hoje.

Greve. Quer saber quem lucrou com ela? Dica: os aplicativos de transporte é que não foram.

Inverno. Será que você já conhece estes onze lugares indicados pelo Guia para aproveitar o frio de Curitiba?

Inspiração

E, para começar esta semana incerta, uma história de superação incrível: este homem perdeu os dois pés escalando o Monte Everest, mas isso não o impediu de tentar novamente.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.