Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Invasão de igreja gera onda de críticas em todo o país; vereador do PT é alvo de pedido de cassação
Vereador Renato Freitas, do PT, liderou invasão a uma igreja católica localizada no centro de Curitiba neste sábado (5)| Foto: Malik Fotografia/Mandato Renato Freitas

Um vereador do PT protagonizou no último fim de semana um episódio que gerou uma onda de críticas em todo o Brasil. Renato Freitas, de Curitiba, liderou a invasão a uma igreja durante uma missa, quando participava de uma manifestação em protesto aos assassinatos de Moïse Mugenyi e Durval Teófilo Filho. Dezenas de pessoas, com bandeiras do PT e do PCB entraram à força no templo e começaram a gritar palavras como “racistas” e “fascistas”. A atitude gerou várias reações contrárias, inclusive de pessoas ligadas à esquerda, e pedidos de cassação de mandato.

Bolsonaro se manifesta. Até mesmo o presidente Jair Bolsonaro se manifestou sobre o episódio. Por meio das redes sociais, ele afirmou que o ato representa a “verdadeira face de ódio” por parte da esquerda.

O que diz a lei. De acordo com a legislação brasileira, missas e cultos religiosos não podem ser impedidos, tumultuados ou vilipendiados, sob pena de detenção e multa. Entenda como a lei se aplica à invasão protagonizada pelo vereador.

Opinião da Gazeta  

A intolerância religiosa e o risco da impunidade. A invasão a uma igreja em Curitiba, liderada pelo vereador Renato Freitas (PT), se tornou um ato político com críticas ao presidente Jair Bolsonaro e aos católicos, que o teriam ajudado a chegar ao poder nas eleições de 2018. O episódio é demonstração cabal de desinformação. Veja um trecho da opinião da Gazeta:­­

Resumir todo o acontecimento a uma demonstração de intolerância religiosa, identitária e político-partidária que resumiria as convicções de um lado do espectro ideológico é uma simplificação exagerada dos enormes riscos embutidos em uma eventual impunidade neste caso.

Leia o editorial na íntegra

Política, Economia e Utilidade pública

Convite ao presidente. O presidente Jair Bolsonaro recebeu os ministros Alexandre de Moraes e Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). Eles foram convidá-lo para a posse da nova presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Veja como foi o encontro.

Em clima de campanha. Pré-candidato à Presidência, o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) lançou uma carta dirigida a lideranças evangélicas, na qual aborda o combate ao tráfico de drogas. Saiba o que os presidenciáveis planejam para a Petrobras e o preço dos combustíveis.

Giro pelo mundo. O Spotify descartou retirar da plataforma o podcast de Joe Rogan, criticado por questionar a eficácia da vacina contra a Covid-19. No Canadá, um pai teve a guarda do filho suspensa por não se vacinar.

O que mais você precisa saber hoje

Infraestrutura. Em 6 meses, marco legal das ferrovias atrai R$ 240 bilhões em investimentos privados

Valores a receber. BC cria site exclusivo para consulta e resgate de valores “esquecidos” nos bancos

Desmembramento. Congresso discute criação do Tapajós; veja projetos sobre outros possíveis novos estados

Precaução. Volta às aulas: 7 cuidados que pais, alunos e escolas devem ter

Colunas e artigos

Hora do Strike está de volta. A análise política sem medo de censura, do patrulhamento e do politicamente correto está de volta. Começou a terceira temporada do Hora do Strike, comandado por Cristina Graeml, Kim Paim e Gustavo Gayer, com a presença de convidados especiais. Confira o primeiro programa.

Paulo Polzonoff Jr. faz uma crônica sobre o stalinista, o vereador e a perda da liberdade.

J.R. Guzzo diz o que a revolta popular no Canadá ensina ao mundo que se diz democrático.

Para inspirar

Diálogo contra o racismo. Em um mundo cada vez mais afetado pela cultura do cancelamento, vozes progressistas organizam-se para criar novas alternativas de diálogo. É o caso da FAIR, a Foundation Against Intolerance and Racism (Fundação Contra a Intolerância e o Racismo). Conheça a iniciativa. Tenha um bom dia e uma ótima semana!

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]